Adega Edicao 159

ADEGA traz-lhe o melhor do apaixonante e sofisticado mundo do vinho. Matérias completas com imagens deslumbrantes dos grandes vinhos, regiões produtoras, vinícolas, entrevistas, viagens, dicas de harmonização e centenas de avaliações independentes de vinhos para todos os gostos, bolsos e ocasiões. Leia e comprove porque ADEGA é a maior revista de vinhos em Português.

País:
Brazil
Idioma:
Portuguese
Editor:
Inner Publishing Net LLC
Periodicidad:
Monthly
US$ 2,99
US$ 19,99
12 Números

en este número

2 min.
da vinha à mesa

Um produtor de vinhos certamente fica alegre quando vê sua produção sendo comprada. Mas ele fica muito mais alegre quando vê as garrafas sendo consumidas. No fim do ano passado, tivemos a oportunidade de conversar com proprietários de vinícolas renomadas, cujos vinhos alcançam preços consideráveis e são sonho de consumo de muitos enófilos. E, por mais que algumas pessoas vejam seus vinhos como “ativos”, eles preferem que sejam “bens de consumo”. Assim, eles ficam maravilhados quando há a oportunidade de grandes provas em que diversos de seus rótulos são abertos. Aliás, uma das últimas realizadas foi impressionante. Dois chefs estrelados fizeram um menu de 10 pratos para simplesmente 20 vinhos icônicos do Domaine Dujac. Um verdadeiro desbunde que você confere em detalhes nesta primeira edição de 2019. Neste número trazemos ainda algumas…

2 min.
cartas

Instagram TOP DO TOP Gosto muito da edição de fim de ano com os melhores vinhos selecionados. É sempre uma edição que guardo para futuramente consultar e ver quais vinhos valem a pena ser comprados. Robson Murano ERRATA Na edição 158, na página 38, a referência do pano de microfibra para limpar taças da Riedel está equivocada. O valor é de US$ 42 e ele está disponível no site da importadora Mistral. Vinho Presente @vinhopresente Feliz 2019!!!! Diego Fiore @mywinesfiore Let’s celebrate the New Year! Cheers! Santé! Prost! Salute! Salud! #revistaadega D. Adiron @adiron_sommelier Um Barolo potente. Taninos firmes porem com uma lembrança doce no longo final de boca. #revistaadega Ricardo Bruno@ricardo.bruno.winelife Português alentejano do grupo Esporão, frutas negras no aroma, carvalho com baunilha, amadeirado e típico com várias castas portuguesas. Ótimo vinho! #revistaadega Fernando Alves @fernando.alves_jf Minha coleção da @revistaadega! Comprei a primeira em…

adega1902_article_008_01_03
1 min.
vinho tem glúten?

Não é apenas uma questão de dieta. Quem sofre algum tipo de intolerância ou alergia ao glúten ou tem doença celíaca – distúrbio autoimune que leva a danos no intestino delgado – precisa ficar atento ao que está ingerindo, seja comida, seja bebida. Mas será que o vinho pode conter glúten? Glúten é uma proteína encontrada em diversos cereais, incluindo trigo, cevada e tantos outros. Ou seja, pães e cervejas provavelmente conterão glúten e tendem a estar fora do cardápio de quem tem intolerância. Mas e o vinho, pode ser bebido sem problema? Se você precisa evitar o glúten, pode tomar vinho sem se preocupar. O vinho é composto por uvas e, durante o processo, ele não é exposto ao glúten – a não ser em raríssimas exceções e, mesmo assim, em…

adega1902_article_010_01_01
7 min.
destino traçado

Frederik zu Knyphausen, 42 anos, tem o perfil de um jovem executivo. Estudou Economia na Alemanha e na Suíça, trabalhou com consultoria financeira, fusões e aquisições de empresa e priva-te banking. Mas seu destino profissional de certa forma já estava traçado desde o início do século XIX, mais precisamente em 1818. Foi naquele ano que seus ancestrais compraram uma antiga propriedade (o primeiro registro oficial é de 1163) na região do Reno (Rheingau), vizinha ao mosteiro cisterciense de Eberbach, fundado em 1136. Os monges cistercienses tinham como norma plantar vinhedos em suas propriedades, como fizeram na Borgonha (o exemplo mais famoso é o Clos Vougeot) e Eberbach não foi exceção. Em 1803, o governo alemão determinou a secularização de todas as propriedades da igreja. Foi uma delas, a fazenda Draiser Hof,…

adega1902_article_012_01_01
1 min.
a dificuldade dos nomes

A nomenclatura usada nos rótulos dos vinhos alemães continua sendo um desafio para os consumidores, mesmo quem entende a língua. Hoje, existem duas classificações. A mais tradicional é a que associa “predicados” aos melhores vinhos, que vão de Kabinett a Trockenbeerenauslese (TBA), passando por Spätlese, Auslese, Beerenauslese e Eiswein, embora esse último possa ser considerado quase uma categoria à parte pelo modo como é produzido. Ao contrário do que se convencionou, essa classificação não indica necessariamente o grau de doçura dos vinhos, mas o teor alcoólico potencial que a presença de açúcar no mosto permite alcançar. Assim, dependendo da região, os Kabinett, Spätlese e mesmo os Auslese podem ser doces (semi-secos, no caso dos primeiros) ou secos. Já os três últimos (Beerenauslese, Eiswein e TBA) são sempre doces. Há não muitos…

5 min.
vinhos avaliados

AD 90 pontos BARON KNYPHAUSEN KIEDRICHER SANDGRUB SPÄTLESE 2012 Baron Knyphausen, Vale do Reno, Alemanha (Vind’Ame R$ 279). Amarelo claro com reflexos dourados, está no primeiro patamar dos chamados vinhos de sobremesa e exibe aromas elegantes, que remetem a pêssegos e mangas, e aquele traço de mineralidade (brita) típico da casta. Na boca, ainda mantém muita fruta quase fresca e apresenta corpo de leve para médio. Por ter ótima acidez e “apenas” em torno de 75 gramas de açúcar residual, é um vinho delicioso (e de preço mais acessível), perfeito como aperitivo, mas que pode acompanhar tortas de frutas não muito doces. Álcool 8%. GV AD 93 pontos BARON KNYPHAUSEN KIEDRICHER SANDGRUB RIESLING AUSLESE 2009 Baron Knyphausen, Rheingau, Alemanha (Vind’Ame - Não disponível). Branco doce de colheita tardia elaborado exclusivamente a partir de uvas Riesling…

adega1902_article_018_01_01