Adega Edicao 183

ADEGA traz-lhe o melhor do apaixonante e sofisticado mundo do vinho. Matérias completas com imagens deslumbrantes dos grandes vinhos, regiões produtoras, vinícolas, entrevistas, viagens, dicas de harmonização e centenas de avaliações independentes de vinhos para todos os gostos, bolsos e ocasiões. Leia e comprove porque ADEGA é a maior revista de vinhos em Português.

Leer Más
País:
Brazil
Idioma:
Portuguese
Editor:
Inner Publishing Net LLC
Periodicidad:
Monthly
US$ 2,99
US$ 19,99
12 Números

en este número

1 min.
ciclos que recomeçam

O INCRÍVEL MUNDO do vinho é feito de ciclos: nascimentos, crescimentos, florescimentos, renovações, recomeços etc., como na natureza, que lhe dá origem. E não faltam exemplos de como isso ocorre nesta primeira edição de 2021. Começamos com o nascimento de um ícone, um novo vinho dos Rothschild, uma homenagem à matriarca da família que faleceu em 2014. Provamos, em primeira mão, o exclusivo rótulo Baronesa P., que celebra a vida e os feitos de Philippine de Rothschild. “Filho” da excepcional safra 2018 na América do Sul, ele é um dos grandes tesouros desse ano, que revelou ainda um novo Almaviva e um novo Balasto, ambos também degustados “en primeur” e comentados por seus enólogos. E entre os “nascimentos” também provamos o Obliqua, novidade da Ventisquero. Falando sobre renascimentos, entramos em contato com…

adega2101_article_004_01_01
1 min.
cartas

Compras Fico feliz que, juntamente com os Top 100 do ano, a revista também publique vinhos abaixo de R$ 100 que se destacaram. Como meu orçamento é curto, sempre foco nesses vinhos. Aos poucos, vou guardando para poder adquirir algum da lista dos top 100 e aí vou colecionando. Jaime Ribeiro Espumante ou frisante? Eu sempre chamei os vinhos com borbulhas de frisantes, mas um amigo recentemente me corrigiu dizendo que os vinhos são espumantes e não frisantes. Qual a diferença entre um e outro? Rogério Assis Caro Rogério, a diferença está basicamente na pressão da garrafa, que é maior nos espumantes. Para entender melhor, acesse: https:// revistaadega.uol.com.br/artigo/qual-diferenca-entre-frisantee-espumante_11979.html Nuno Chegadinho @nuno.chegadinho Vinhas Velhas são estas não as novas. Estas originam vinhos de VINHAS VELHAS #revistaadega Ricardo Bruno @ricardo.bruno.winelife Na postagem de número 300, valorizando o nacional e também a classe médica, apresento…

adega2101_article_008_01_01
1 min.
meia garrafa velha?

NÃO É NOVIDADE QUE colecionadores de vinho costumam favorecer garrafas de grandes formatos, especialmente as magnuns. A ideia por trás disso está na proporção de oxigênio em relação ao líquido, lembrando que o oxigênio proporcionará as reações químicas que farão o vinho evoluir. Se pensarmos que a quantidade de ar é quase a mesma independentemente do tamanho da garrafa, a proporção de oxigênio obviamente será maior em uma meia garrafa (375 ml) do que em uma padrão (750 ml) ou uma magnum (1500 ml). E assim, teoricamente, você terá um efeito de envelhecimento mais acelerado quanto menor o volume de vinho. Isso, contudo, não quer dizer que você não possa guardar as meias garrafas para maturarem um pouco. É raro que produtores de grandes vinhos de guarda envazem garrafas pequenas, mas…

adega2101_article_010_01_01
1 min.
formatos e nomes das garrafas

187 ml – ¼ de garrafa, também conhecida como Piccolo 375 ml – Meia garrafa 750 ml – Garrafa padrão 1,5 litro – Magnum 3 litros – Double Magnum ou Jeroboão (espumantes) 4,5 litros – Reoboão (espumantes) ou Jeroboão (vinhos tranquilos – Borgonha) 5 litros – Jeroboão (Bordeaux) 6 litros – Imperial ou Matusalém (espumantes) 9 litros – Salmanaser 12 litros – Baltazar 15 litros – Nabucodonosor 18 litros – Salomão ou Melquior 26,25 litros – Sovereign 27 litros – Golias ou Primat 30 litros – Melquisedeque ou Midas…

7 min.
o vinho da baronesa

EM VIDA, PHILIPPINE Mathilde Camille de Rothschild teve quase tudo o que alguém com o seu sobrenome pode almejar, ainda que não tenha passado incólume pelos horrores da II Guerra Mundial. Nascida em 1933, Philippine era filha única do Barão Philippe de Rothschild, dono do Mouton Rothschild, talvez o mais icônico dos cinco premiers crus classés de Bordeaux. E perdeu a mãe, de quem o pai estava separado, quando tinha pouco mais de 10 anos. “Lili”, a mãe, foi presa e deportada da França e morreu num campo de concentração já no final da II Guerra. A própria Philippine teria escapado do mesmo destino pelo zelo de uma empregada e porque um dos oficiais da Gestapo desistiu de levá-la junto com a mãe, sabendo qual seria o destino das duas,…

adega2101_article_012_01_01
1 min.
lafite de phelps

O tão aguardado leilão da adega pessoal de Joseph Phelps, um dos grandes produtores do Napa Valley, falecido em 2015, rendeu US$ 2,2 milhões segundo o leiloeiro Hart Davis Hart (HDH). A peça principal foi uma garrafa de Château Lafite 1865 que alcançou US$ 31.070. A safra é de três anos antes de o Barão James de Rothschild comprar a propriedade em Bordeaux (fato que ocorreu em 1868). Registros mostraram que Phelps comprou essa garrafa em um leilão da Christie’s em março de 1981. Ela foi rearrolhada em 1953 e posteriormente em 1986, em uma clínica administrada por uma equipe do Château. Outro ponto alto foi uma caixa de 12 garrafas de Lafite 1948 que também rendeu US$ 31.070. No entanto, o lote mais caro abarcou 11 garrafas de Château Latour…

adega2101_article_018_01_01