Adega Edicao 189

ADEGA traz-lhe o melhor do apaixonante e sofisticado mundo do vinho. Matérias completas com imagens deslumbrantes dos grandes vinhos, regiões produtoras, vinícolas, entrevistas, viagens, dicas de harmonização e centenas de avaliações independentes de vinhos para todos os gostos, bolsos e ocasiões. Leia e comprove porque ADEGA é a maior revista de vinhos em Português.

País:
Brazil
Idioma:
Portuguese
Editor:
Inner Publishing Net LLC
Periodicidad:
Monthly
US$ 2,99
US$ 19,99
12 Números

en este número

2 min.
continuidade e ruptura

VINÍCOLAS HISTÓRICAS, vinhedos seculares, vinhos icônicos. Empresas modernas, novas técnicas, rótulos disruptivos. Muitas vezes pensamos que essas duas vertentes são obrigatoriamente excludentes no mundo do vinho. O clássico não pode ser moderno? Um grande vinho nunca muda? Uma vinícola tradicional não se atualiza? As técnicas não evoluem? Nada se aprimora? O vinho é uma bebida milenar cujos processos de produção são basicamente os mesmos – ao menos têm sempre a mesma base, que é a fermentação do mosto da uva – desde os primórdios. Mas isso não quer dizer que não seja uma bebida que evoluiu e continua evoluindo ao longo dos anos. Aliás, evolução é um termo essencial ao vinho, pois ele evolui de diversas formas, seja na barrica, seja na garrafa, seja na taça. Isso é uma das coisas…

adega2107_article_004_01_01
1 min.
cartas

20 safras? Sempre fui muito curioso em relação aos vinhos feitos com blends de safras. Acho algo incrível que alguém possa conseguir misturar coisas de anos diferentes numa mesma garrafa. Já não deve ser fácil compreender uvas diferentes de um mesmo ano. Imagine uvas diferentes de anos diferentes. Então, ao ver a entrevista com o Felipe Tosso, fiquei realmente impressionado com a história do vinho que ele fez com as 20 safras da Ventisquero. E mais louco ainda é que não eram vinhos de reserva, mas boa parte já engarrafado. É preciso muito conhecimento e sensibilidade para criar algo assim. Parabéns. Jayme Alves De Souza Júnior @jayme_souza_jr Espumante nacional da@bodegaczarnobay. Um ótimo custo benefício. #revistaadega Rodrigo Capella @capella.rodrigo Assistindo #nba na #sportv Sensacional! A arte em cada #jogada @revistaadega Rodolfo Machado Moura @adega_do_rodolfo Que ótima surpresa para…

adega2107_article_008_01_01
2 min.
como guardar meu vinho?

COMO E ONDE GUARDAR seus vinhos é um dos primeiros dilemas de todo enófilo. Você compra algumas garrafas – sempre um pouco a mais do que consome, convenhamos – e aí fica no impasse de onde estocá-las. No armário da cozinha? Na despensa? Na geladeira? O ideal, todos sabem, seria uma adega climatizada, mas não é algo que todos têm em casa, sobretudo quando estamos iniciando no mundo do vinho. Supondo que você comprou vinhos para serem consumidos em breve, em poucos meses, e não vinhos de guarda, você não precisa muito mais do que um lugar fresco e protegido do sol. Se a sua despensa não se torna uma “fornalha”, talvez ela possa servir. Mas evite deixar os vinhos ao lado de condimentos, por exemplo. Um armário? Sim, pode ser,…

adega2107_article_010_01_01
17 min.
longo? não. eterno

“TENTAREI RESPONDER de forma resumida, porque você vai entender que a resposta pode ser eterna. Não longa, mas eterna, porque os anos que temos de história são muitos”, diz logo de cara Vicente Dalmau Cebrián-Sagarriga, que há 25 anos está à frente de Marqués de Murrieta, uma vinícolas pioneiras de Rioja e da Espanha. Mas não somente essa história é longa (ou eterna), como também seus vinhos. Murrieta sempre foi famosa por vinhos de longa maturação, seja em barrica, seja em garrafa, antes de serem lançados no mercado. Seu mais celebrado vinho, Castillo Ygay, por exemplo, somente é lançado em safras especiais “contadas nos dedos” e pode ficar mais de 10 anos aguardando o momento certo para ser lançado. A versão branca tem apenas 13 safras até hoje, sendo que a…

adega2107_article_012_01_01
1 min.
vocês possuem um projeto em rías baixas?

Sim, uma vinícola em Pazo de Barrantes, onde temos investido muito. É mais uma loucura nossa. Decidimos evoluir todo o projeto ali, atualizá-lo. Há dois anos que não lançamos um vinho e, no próximo ano, já se poderá ver as novidades. Quisemos dar mais tempo ao vinho e, em vez de apresentar Albariños jovens, vamos apresentar Albariños maduros, com pelo menos três anos de envelhecimento. Um Albariño maduro e estruturado. Acredito que o Albariño que estamos fazendo mudaria o conceito do que está se fazendo ultimamente em Rías Baixas.…

2 min.
mudanças em chianti

O conselho de Chianti Classico aprovou a criação de 11 novas sub-regiões (para permitir nomes de vilas nos rótulos das garrafas) e endureceu as regras para os vinhos Gran Selezione, considerados os mais importantes dentro de suas delimitações. Em assembleia com 500 produtores de Chianti Clássico, 90% votou a favor da proposta. “Havia um grande espírito de coesão e colaboração”, disse Giovanni Manetti, presidente do consórcio. A partir de agora, designadas como Unità Geografiche Aggiuntive (UGA), ou “Unidades Geográficas Adicionais”, as seguintes regiões serão permitidas nos rótulos: Castellina, Castelnuovo Berardenga, Gaiole, Greve, Lamole, Montefioralle, Panzano, Radda, San Casciano, San Donato em Poggio e Vagliagli. Determinar as UGA foi um desafio. O objetivo era dividir a denominação em áreas menores e mais homogêneas. Em vez de estarem enraizadas em um estudo científico, elas…

adega2107_article_022_01_01