Adega Maio 2014

ADEGA traz-lhe o melhor do apaixonante e sofisticado mundo do vinho. Matérias completas com imagens deslumbrantes dos grandes vinhos, regiões produtoras, vinícolas, entrevistas, viagens, dicas de harmonização e centenas de avaliações independentes de vinhos para todos os gostos, bolsos e ocasiões. Leia e comprove porque ADEGA é a maior revista de vinhos em Português.

País:
Brazil
Idioma:
Portuguese
Editor:
Inner Publishing Net LLC
Periodicidad:
Monthly
ESPECIAL: Get 40% OFF with code: READ40
US$ 2,99
US$ 19,99
12 Números

en este número

2 min.
sem complexos

O controverso jornalista Nelson Rodrigues já dizia que o brasileiro sofre do “complexo de vira-lata” – não é capaz de se valorizar e vive achando que os outros são sempre melhores do que ele. No mundo do vinho, no qual estamos engatinhando quando nos comparamos com nações do Velho Mundo, temos ainda mais receio de ousar nos equiparar aos grandes produtores. Dessa forma, muitas vezes, é preciso que alguém de fora, um estrangeiro, diga-nos do que somos capazes e que temos, sim, qualidade – para que possamos acreditar em nosso potencial. E foi isso o que aconteceu recentemente, após a visita de Steven Spurrier ao Brasil. O famoso crítico inglês veio, provou nossos espumantes e afirmou categoricamente que o brasileiro não precisa beber Champagne. “Vocês devem ter orgulho de seus vinhos”,…

2 min.
cartas

POST MAIS POPULAR DO MÊS NO FACEBOOK ÁFRICA DO SUL Sem dúvida, a África do Sul possui uns dos melhores Syrahs que conheço. João Paulo Kassemiro PREÇ Um bom vinho vale um bom preço sim, mas igual ao que pagam os consumidores europeus. No Brasil, é roubo e desestímulo ao consumo, tornando o vinho produto de luxo, mesmo os vinhos do dia a dia, que lá custam até 10 euros, e aqui R$ 100. Mário Mucheroni OS MELHORES RESTAURANTES DE VINÍCOLAS 1 Estive, com esposa e amigos, por duas vezes no 1884 Francis Mallmann. Serviço e comida espetaculares, vinhos especiais, tudo com preço justo, ao meu entender. Ambiente muito bonito. Sempre considerei o melhor de Mendoza, mesmo antes de avaliações. Valdir Mocelin OS MELHORES RESTAURANTES DE VINÍCOLAS 2 Estive na semana passada em Paso Robles, Califórnia. Tive o prazer de jantar…

adega1405_001_002_008_Cartas_0
14 min.
desbravador de novos mercados

Há quase 30 anos, uma ideia pouco convencional para a época acabou trazendo fama inesperada e repentina para um inglês radicado na França – que possuía uma loja e escola de vinhos em Paris. Na tarde de 24 de maio de 1976, Steven Spurrier reuniu nove dos mais célebres experts franceses para uma degustação às cegas entre desconhecidos vinhos californianos e monumentos da vitivinicultura da França. No entanto, o que era para ser um massacre francês se tornou a maior zebra da história do vinho. Uma semana depois, essa fantástica degustação estava estampada em um artigo da revista Time, nos Estados Unidos, com o sugestivo nome de “Julgamento de Paris”. Era o fim da hegemonia francesa no que tange a vinhos de alto padrão. A partir daí, não só os norte-americanos,…

adega1405_001_003_010_Entrevista_0
3 min.
sem julgamentos

Até quem não entende de vinho sabe que os espumantes feitos na região francesa de Champagne são as borbulhas mais famosas e valorizadas do mundo. Mas pouca gente sabe que as casas menos prestigiadas não vivem seu melhor momento. Essa informação foi passada a um grupo de aproximadamente 60 brasileiros (produtores de vinhos, jornalistas, sommeliers e enófilos) por um dos personagens mais emblemáticos, que cravou seu nome na moderna (e tremendamente competitiva) indústria do vinho: o inglês Steven Spurrier. Idealizador e responsável pelo “Julgamento de Paris”, como ficou conhecida a degustação de 1976 que colocou frente a frente vinhos californianos e franceses, cujo resultado promoveu os vinhos americanos a um status nunca antes obtido, Spurrier ainda é editor da revista inglesa Decanter. Ele foi convidado pelo Ibravin para uma degustação…

adega1405_001_004_020_Mundovino_0
15 min.
mundovino

VERTICAL DON LAURINDO Durante o Concurso Internacional de Vinhos do Brasil, um integrante do júri dizia que a Serra Gaúcha deveria focar-se apenas no Merlot e esquecer o resto das variedades tintas. Para colocar o tema à prova, falamos com Ademir Brandelli, proprietário da vinícola Don Laurindo, e tivemos a oportunidade de degustar o tinto Don Laurindo Tannat das safras 1995, 2000, 2005 e 2010. Pudemos constatar, antes de mais nada, a longevidade deste vinho. De fato, ficou claro, principalmente pela safra 1995, que ele realmente ganhou complexidade, finesse, elegância e profundidade com os quase 20 anos de garrafa. Porém, também ficou evidente que, com o ganho de experiência e o uso de novas técnicas, tanto no vinhedo quanto na cantina, as safras mais recentes indicam um caminho ainda melhor e…

adega1405_001_005_022_Mundovino_0
1 min.
enocultura

VINHO NACIONAL Roberta Malta Saldanha, Arte Ensaio, 160 páginas, R$ 70 O vinho é uma das bebidas mais apreciadas no Brasil, mas poucos realmente conhecem a longa jornada das primeiras parreiras em solo brasileiro. A obra “Vinho Nacional” traça um panorama da vinicultura nacional, lembrando desde a chegada dos imigrantes italianos ainda no século XIX e a posterior difusão das suas técnicas e do conhecimento sobre a cultura da bebida no Brasil até a realidade atual da cultura do nosso vinho. Uma obra que encanta os curiosos a respeito de documentos, depoimentos, e fatos que destacam a origem e as peculiaridades no cultivo de uvas em nossos vinhedos. ITÁLIA - O PAÍS E SUA COZINHA Ingeborg Pils e Stefan Pallmer, Melhoramentos, 512 páginas, R$ 139 Quer saber tudo sobre uma das mais famosas gastronomias do…

adega1405_001_006_030_Enocultura_0