EXPLORARBIBLIOTECA
searchclose
shopping_cart_outlined
exit_to_app
category_outlined / Negócios & Finanças
Harvard Business Review BrasilHarvard Business Review Brasil

Harvard Business Review Brasil Abril 2016

É a edição brasileira da mais importante revista de economia, gestão e négocios do mundo. Fundada há 91 anos, permanece na liderança das idéias revolucionárias que movem corporações em todo o mundo

País:
Brazil
Língua:
Portuguese
Editora:
RFM EDITORES Ltda
Ler Maiskeyboard_arrow_down
Nota Get 40% off with your subscription!
ASSINATURA
US$140,33US$84,20
12 Edições

NESTA EDIÇÃO

access_time1 minutos
o melhor da hbr

A qui na Harvard Business Review, nosso foco em cada artigo que publicamos é apresentar ideias, insights e orientações práticas para que você acelere seus negócios ou se desenvolva em sua carreira. Todo ano uma banca de jurados ilustres — procedentes tanto da academia quanto de empresas do setor privado — seleciona nosso melhor artigo, que é agraciado com o McKinsey Award. Os artigos em destaque das edições do ano são avaliados com base no rigor, relevância e legibilidade. Os que recebem nota mais alta compõem uma lista apresentada novamente aos jurados e aos membros de nosso conselho de leitores para o voto final. E já temos os resultados! O vencedor da edição 2015 do McKinsey Award é “Inovações da engenharia reversa”, por Amos Winter e Vijay Govindarajan. Publicado na edição…

access_time1 minutos
colaboradores

Marshall Van Alstyne abandonou o Massachusetts Institute of Technology (MIT) para lançar uma startup durante a bolha da internet. O estouro que se seguiu o fez pensar sobre os padrões que distinguem vencedores de perdedores nos mercados de informação. Ele precisava terminar seu doutorado. Decidiu, então, se associar a Geoffrey Parker para estudar mercados bilaterais. Suas descobertas em relação à maneira como as empresas podem estimar informações de forma rentável levaram a um importante artigo sobre o tema em 2006 para a HBR e serviram como base do mais recente trabalho, do próprio Van Alstyne em coautoria com Parker e Sangeet Paul Choudary, sobre a estratégia de plataforma , na página 32 Vin Rathod, artista do Foco deste mês (página 31), estudou arquitetura antes de se tornar fotógrafo dessa área. Ele…

access_time7 minutos
marketing revolucionando o atendimento ao consumidor

Nunca foi tão importante compreender as interações dos consumidores, especialmente desde que a mídia social vem dando voz mais forte aos clientes insatisfeitos. Muitas empresas querem elevar o nível de atendimento, mas a pergunta é: como? A resposta típica é reescrever o roteiro das frases prontas dos empregados de linha de frente e realizar projetos piloto. Essas táticas podem promover uma melhora incremental, o que funciona para uma empresa cuja operação de atendimento ao cliente está indo razoavelmente bem. Mas se a operação demonstra falhas importantes ou se o setor da empresa está sofrendo disrupção e os clientes de repente se veem diante de um maior leque de escolhas, uma mudança cultural mais profunda é a recomendação dos pesquisadores e consultores baseados em Cingapura Jochen Wirtz e Ron Kaufman. Respaldados por…

access_time2 minutos
“as pessoas se perguntavam: “esse cara está maluco?”

Sua empresa enfrentou altas dívidas, baixo moral e uma recessão global. Por que se concentrar no atendimento? Quando suas propriedades precisam ser incrementadas e você está com dificuldades de fluxo de caixa, como se diferenciar? As pessoas são cruciais. Nosso negócio é em grande parte não supervisionado, portanto é preciso infundir nos fornecedores de linha de frente a mentalidade de que o atendimento é inexorável e faz parte da natureza da empresa. Uma vez que o fizemos, começamos a ganhar tração. Fomos capazes de aumentar o preço das acomodações e gradualmente estamos reinvestindo nas propriedades. Em que consistiu a iniciativa? Envolvemos todo mundo em todos os nossos sites — três mil pessoas —dizendo para onde estávamos nos direcionando e como chegaríamos lá. Isso deu às pessoas a confiança de serem proativas,…

access_time1 minutos
automação os robôs podem fazer o trabalho dos profissionais de marketing ?

Um dos efeitos colaterais mais assustadores da tecnologia é o prognóstico de que computadores, algoritmos ou robôs possam tornar alguns trabalhadores obsoletos. Porém os pesquisadores da McKinsey Michael Chui, James Manyika e Mehdi Miremadi dizem que a melhor maneira de analisar como as máquinas mudarão o trabalho é olhar para tarefas individuais e não trabalhos inteiros. Em um estudo recente descobriram que menos de 5% dos trabalhos poderiam ser concluídos de forma completamente automática — mas para mais de metade de todas as profissões, as máquinas poderiam realizar quase um terço das tarefas diárias. Isso se aplica não só aos serviços de manufatura e atendimento ao cliente, mas também a funções de nível mais elevado, como marketing. O quadro abaixo mostra qual a porcentagem de tarefas de vários profissionais de marketing…

access_time2 minutos
talento cuidado com o viés pró-habilidade natural

Ao avaliar talento, você inconscientemente dá preferência às pessoas que percebe terem talentos inatos ou àquelas cujo sucesso parece ter sido fruto de um trabalho árduo? É uma pergunta que os gestores deveriam se fazer, especialmente ao tomarem decisões de contratação, promoção e oportunidades de desenvolvimento. Chia-Jung Tsay, professor assistente da University College London, queria testar se as pessoas demonstram uma admiração especial às conquistas que parecem ter sido fruto de talento natural e não do trabalho duro. Experimentos anteriores envolvendo profissionais de música clássica descobriram que quando as pessoas eram levadas a acreditar que determinados músicos tinham dons inatos, conferiam melhor avaliação ao seu desempenho — mesmo que os respondentes (que incluíam alguns músicos clássicos) dissessem considerar a dedicação mais importante para o sucesso musical. Para verificar se a mesma…

help