EXPLORARBIBLIOTECA
searchclose
shopping_cart_outlined
exit_to_app
category_outlined / Negócios & Finanças
Harvard Business Review BrasilHarvard Business Review Brasil

Harvard Business Review Brasil Setembro 2018

É a edição brasileira da mais importante revista de economia, gestão e négocios do mundo. Fundada há 91 anos, permanece na liderança das idéias revolucionárias que movem corporações em todo o mundo

País:
Brazil
Língua:
Portuguese
Editora:
RFM EDITORES Ltda
Ler Maiskeyboard_arrow_down
ASSINATURA
US$126,75
12 Edições

NESTA EDIÇÃO

access_time1 minutos
cultive a curiosidade

Todos sabemos que a curiosidade é a centelha que não só produz novas ideias, como também leva a inovações revolucionárias. Pesquisas recentes realizadas por Francesca Gino, da Harvard Business School, apontam vários benefícios surpreendentemente práticos: a curiosidade aprimora as tomadas de decisão porque reduz a suscetibilidade aos estereótipos e à confirmação de vieses. Alimenta o engajamento e a colaboração dos funcionários e fortalece a resiliência organizacional, estimulando a solução criativa de problemas diante de pressões e incertezas. Em resumo, a curiosidade impulsiona o desempenho das empresas. E embora os gestores afirmem que valorizam a curiosidade, não raro a reprimem. Numa pesquisa com 3 mil funcionários de uma grande e variada amostra de empresas e indústrias, Francesca descobriu que somente 25% relataram sentir curiosidade pelo trabalho e 70% enfrentam barreiras para fazerem…

access_time6 minutos
a reavaliação da inovação incremental

Há uma década, o professor de Marketing do INSEAD, Marcel Corstjeans, estava conversando com funcionários de uma multinacional de produtos de consumo embalados (do inglês, CPG) sobre maneiras para revitalizar uma de suas maiores marcas. Durante três dias de reuniões, ele achou a apresentação de uma hora feita pela equipe de P&D da empresa extremamente fascinante. Mas ninguém mais tivera a mesma sensação. “Havia muitas ideias que poderiam ter sido desenvolvidas”, afirma ele, “mas no fim da apresentação todos disseram: ‘bom, vamos voltar para as questões de comunicação e propaganda’, e ninguém nunca mais falou sobre P&D”. Não é segredo que grandes empresas CPG são centros de destaque quando o assunto é marketing, mas esse pouco caso para com as ideias da P&D não lhe saiu da cabeça. Embora empresas…

access_time2 minutos
sanjay khosla

Sanjay Khosla passou mais de 30 anos como executivo da Unilever e da Kraft, e atualmente, como consultor sênior do Boston Consulting Group e professor da Northwestern’s Kellog School, auxilia empresas a encontrar formas para aumentar o crescimento orgânico e aprimorar seu processo de inovação. Ele conversou com a HBR sobre equilibrar a busca por inovações incrementais com projetos mais ambiciosos. Excertos editados a seguir. Qual o ponto principal dessa pesquisa? Mostrar que empresas que são bem-sucedidas em inovação se baseiam naquilo que está dando certo. Elas olham para aquilo que chamo de 3M: áreas com boa margem de lucro, momento, e potencial para realizar impacto material financeiro. Procuram encontrar um equilíbrio entre conquistas rápidas e projeto de médio e longo prazo. Não se pode concentrar somente em produtos blockbusters, pois…

access_time12 minutos
ceo da united ways conta como transformou um modelo de negócio centenário

Como líder de uma instituição sem fins lucrativos, pedir dinheiro é uma parte importante de meu trabalho — e adoro fazer isso. Pedir não é tão difícil quanto você possa imaginar. Os líderes mais eficazes que já vi, em qualquer cenário — negócios, governos, instituições sem fins lucrativos —, são movidos por objetivos, missão e pela percepção de que seu trabalho está transformando o mundo em um lugar melhor. Se você aborda os doadores dessa óptica, está, na verdade, apenas tendo uma conversa sobre missão e objetivo e pedindo-lhes adesão. É preciso simplesmente divulgar a cifra sem se preocupar com o número de zeros à direita. O maior pedido que já fiz foi de US$ 250 milhões. A pessoa a quem fiz o pedido disse não, mas tenho certeza de…

access_time26 minutos
cultive a curiosidade

A maior parte das mais extraordinárias descobertas e invenções da história, do uso do sílex para fazer fogo até veículos autônomos, tem alguma coisa em comum: são o resultado da curiosidade. O desejo de procurar informações e experiências e de explorar novas possibilidades é básico do ser humano. A curiosidade é muito mais importante para o desempenho da empresa do que se imagina. Pesquisas recentes apontam três insights sobre curiosidade relacionados aos negócios. Primeiro, cultivá-la em todos os níveis ajuda os líderes e seus funcionários a se adaptar às condições incertas do mercado e às pressões externas: quando nossa curiosidade é instigada, as decisões são tomadas com mais racionalidade e as soluções são mais criativas. Além disso, a curiosidade leva os subalternos a ter ainda mais respeito por seus líderes…

access_time1 minutos
em resumo

O PROBLEMA Os líderes afirmam que valorizam os funcionários curiosos e questionadores, mas pesquisas mostram que eles reprimem, e muito, a curiosidade, com medo de que ela aumente os riscos e comprometa a eficiência. POR QUE É IMPORTANTE A curiosidade melhora o engajamento e a colaboração. Pessoas curiosas fazem boas escolhas, melhoram o desempenho da empresa e a ajudam a se adaptar às condições incertas do mercado e às pressões externas. A SOLUÇÃO Os líderes devem estimular a curiosidade, em si mesmos e em seus funcionários, fazendo pequenas mudanças na forma como administram pessoas e empresas. Cinco estratégias podem lhes ser úteis.…

help