Negócios & Finanças
Harvard Business Review Brasil

Harvard Business Review Brasil Agosto 2019

É a edição brasileira da mais importante revista de economia, gestão e négocios do mundo. Fundada há 91 anos, permanece na liderança das idéias revolucionárias que movem corporações em todo o mundo

País:
Brazil
Língua:
Portuguese
Editora:
RFM EDITORES Ltda
Periodicidade:
Monthly
Ler Mais
Nota Save 40% on your subscription!
ASSINATURA
US$ 96,14US$ 57,68
12 Edições

nesta edição

1 minutos
saúde: a saída é aumentar a cadeia de valor

PESQUISAS REVELAM que metade dos americanos obtém assistência médica através de seus empregadores, o que custa às empresas cerca de US$ 700 bilhões anuais — e os preços continuam subindo. No Brasil, a situação é semelhante. Pesquisas recentes mostram que os gastos das empresas nesta área correspondem, em média, a 12% de seus custos fixos. No entanto, este crescimento de investimento não se reflete sempre na qualidade do atendimento. Nos Estados Unidos, as empresas estão reagindo e cortando as seguradoras e conectando os pacientes diretamente com os fornecedores. O foco desta edição, que começa na página 25, detalha como programas inovadores da Walmart e de outras empresas estão controlando os custos, melhorando a qualidade e possibilitando uma recuperação mais rápida dos funcionários. Os Estúdios Marvel redefiniram o filme de franquia, em…

10 minutos
radar

As mulheres precisam de um tipo de rede diferente da dos homens PRODUTIVIDADE As pessoas que atingem metas não são apenas autodisciplinadas Você se lembra do “teste do marshmallow”, no qual as crianças recebiam um doce e podiam ganhar mais um se conseguissem esperar determinado tempo sem comer o primeiro? Esse experimento media o autocontrole, que tanto as pesquisas como a intuição sugerem ser vital para atingir metas. Um novo estudo mostra outro fator: o tipo de metas estabelecidas pelas pessoas que atingem a linha de chegada. Foram realizadas três pesquisas com mais de 800 participantes. Na primeira, eles listaram metas recentes, classificaram quanto elas condiziam com seu “verdadeiro eu” e indicaram seu progresso em relação a elas. Quanto mais uma meta se alinhava com sua identidade — o que os pesquisadores chamam de…

6 minutos
feedback imediato prejudica nosso desempenho

Masha Shunko, da University of Washington, e seus colegas Vivek Choudhary, do Insead, e Serguei Netessine, da Wharton, analisaram dados referentes a 382 habitantes de Cingapura. Na esperança de conseguirem desconto em seu seguro automotivo, eles permitiram que um aplicativo monitorasse e avaliasse seu modo de dirigir. Os pesquisadores descobriram que as pontuações eram 13,3% piores em viagens cujo motorista via seus pontos do que naquelas cujos pontos não eram vistos pelo condutor. A conclusão: SHUNKO: Os motoristas que estudamos haviam instalado um aplicativo de celular da Raxel Telematics que avaliava seu comportamento em relação ao excesso de velocidade, à frenagem, à aceleração etc. Eles podiam ver como tinham se saído em cada trajeto e saber sua pontuação geral; caso, depois de seis meses, mantivessem aquela pontuação acima de 70 (de…

4 minutos
os desafios dos gestores do futuro: da liderança horizontal à colaborativa

Em um mundo em rápida evolução, volatilidade, urgência e incerteza, as definições de liderança também devem ser atualizadas. Hoje em dia, a eficácia e o sucesso de uma organização estão menos relacionadas a uma liderança individual que à construção coletiva de gestão, como aponta o escritor e palestrante irlandês James Sweetman. Segundo Sweetman, a versão de liderança tradicional, na qual um indivíduo define os rumos de uma empresa ou organização, tratando de difundir suas ideias, persuadir e motivar seus funcionários a segui-las, já não se aplica à atual realidade. E por uma razão bem simples: em um universo corporativo cada vez mais complexo, ninguém tem respostas para todas as questões que podem surgir. A única forma de encontrá-las é colaborativamente. Desde a Primeira Revolução Industrial, o universo do trabalho passou por uma…

15 minutos
como eu fiz ceo do hospital moinhos de vento

Quando fui convidado pela Harvard Business Review Brasil para escrever a coluna “Como eu fiz”, confesso meu constrangimento inicial em falar sobre conquistas que são resultado do esforço de tantas pessoas e histórias, inclusive de algumas muito anteriores à minha. Afinal, a vida é um sistema integrado e colaborativo, não havendo espaço para o eu absoluto. Nesse sentido, onde quer que seja lida a palavra “eu”, peço que seja considerado “nós”. Em seu ensaio The Crisis in Education, publicado nos anos 50 pela revista Partisan Review, a filósofa Hannah Arendt já alertava: a humanidade passa por uma crise da tradição, vivendo um conflito relacionado ao passado. A lógica de Arendt não poderia ser mais atual. Que o diga o setor da saúde: uma área em que hábitos, costumes e heranças andam…

30 minutos
como os empregadores estão resolvendo o problema da assistência médica

Um homem de 56 anos, que chamaremos de Bill, trabalhava na Walmart. Ele vinha sofrendo de dor moderada na coluna cervical havia anos. A dor piorou, e a esposa percebeu leve tremor nas mãos dele. Uma ressonância magnética revelou estreitamento da coluna vertebral e degeneração do disco. O cirurgião local explicou que a melhor opção para Bill seria cirurgia de coluna. Bill tinha duas opções: fazer a cirurgia no hospital de sua cidade e absorver as deduções e a coparticipação ou entrar no programa de cirurgia com viagem e voar com a esposa para o melhor centro de tratamento de coluna em outro estado, com todas as despesas pagas. Bill optou pelo plano com viagem. Duas semanas depois o casal foi para Danville, Pensilvânia, para uma avaliação no Centro Médico Geisinger. A…