EXPLORARBIBLIOTECAREVISTAS
CATEGORIAS
EM DESTAQUE
EXPLORARBIBLIOTECA
 / Negócios & Finanças
Harvard Business Review BrasilHarvard Business Review Brasil

Harvard Business Review Brasil Novembro 2019

É a edição brasileira da mais importante revista de economia, gestão e négocios do mundo. Fundada há 91 anos, permanece na liderança das idéias revolucionárias que movem corporações em todo o mundo

País:
Brazil
Língua:
Portuguese
Editora:
RFM EDITORES Ltda
Ler Mais
ASSINATURA
US$132,13
12 Edições

NESTA EDIÇÃO

2 minutos
a verdade sobre o mandato do ceo

OS LÍDERES EM NOSSA LISTA DE CEOS com os melhores desempenhos em todo o mundo em 2019 apresentam uma longevidade extraordinária, ocupando seus cargos, em média, há 15 anos, mais do que o dobro da média de um CEO do S&P 500. Eles prosperaram graças a um desempenho melhor do que o de seus colegas tanto do ponto de vista financeiro quanto em relação a medidas ambientais, sociais e governamentais, cada vez mais importantes (ainda que, uma vez mais, exista uma decepcionante escassez de mulheres na lista — resultado da escassez de mulheres no comando de empresas públicas). Claro que nenhum CEO — nem os mais bem colocados em nosso ranking — consegue se sobressair em todos os quesitos sempre. Essa realidade faz com que se dê atenção a uma questão…

1 minutos
harvard business review brasil

EDITOR-CHEFE Adi Ignatius EDITORA Amy Bernstein PUBLISHER Joshua Macht DIRETORA EDITORIAL Sarah Cliff EDITORA EXECUTIVA Ania G. Wieckowski DIRETOR DE CRIAÇÃO John Korpics EDITORA HBR.ORG Maureen Hoch EDITORES SENIORES Alison Beard, Daniel McGinn, David Champion, Eben Harrell, Gardiner Morse, Jeff Kehoe, Laura Amico, Scott Berinato, Scott LaPierre, Steven Prokesch, Toby Lester, Vasundhara Sawhney EDITORES ASSOCIADOS Courtney Cashman, Dave Lievens, Gretchen Gavett, Nicole Torres, Susan Francis EDITORES CONTRIBUINTES Amy Gallo, Anand P. Raman, Andrew O’Connell, Jane Heifetz, John Landry, Karen Dillon CONSELHO CONSULTIVO EDITORIAL Azeem Azhar, Bharat Anand, John Battelle, Nicco Mele, Vivek Shah CONSELHO EDITORIAL José Guimarães Monforte José Luiz Bichuetti Murilo Portugal Pedro Parente PUBLISHER Roberto Müller Filho rmuller@rfmeditores.com.br DIRETORA-GERAL Carolina Martinez carolina@rfmeditores.com.br EDITORA-CHEFE Ana de Magalhães ana@rfmeditores.com.br EDITORA DE ARTE Débora de Bem debora@rfmeditores.com.br PROJETOS ESPECIAIS E PUBLICIDADE Gerente: Daisy Fernandes daisy@rfmeditores.com.br HBR Brasil Channel: Christine Salomão christine@hbrbr.com.br GERENTE DE MARKETING Mariana Monné mariana.monne@rfmeditores.com.br SITE E MÍDIAS SOCIAIS Bruno Ascenso bruno@rfmeditores.com.br CIRCULAÇÃO E ASSINATURA Vendas: atendimento@rfmeditores.com.br…

10 minutos
radar

NA TEORIA OS SEGREDOS DAS MULHERES QUE POSSUEM UMA REDE PROFISSIONAL DE SUCESSO Quatro comportamentos as distinguem. UMA DAS RANÕES MUITAS vezes citada por executivas mulheres para não avançarem para cargos de alta gerência é a falta de acesso informal a redes profissionais informais, organizacionais e setoriais. Algumas pessoas colocam a culpa disso em um preconceito inconsciente: homens que ocupam posições elevadas se conectam mais facilmente com outros homens. Outras citam obrigações pessoais e profissionais, desde os afazeres do escritório à educação dos filhos, que recaem de maneira desproporcional sobre as mulheres, deixando-as com menos tempo para desenvolver relacionamentos profissionais. Porém alguns líderes do sexo feminino criam, sim, redes profissionais sólidas — e, como consequência, obtêm uma maior influência e cargos mais elevados. O que elas estão fazendo de diferente? Um novo estudo esclarece…

7 minutos
para as mulheres no mundo dos negócios, beleza é desvantagem

HEPPARD: Os artigos que escrevemos para o nosso experimento citavam um líder de determinada empresa e explicavam que o motivo das demissões eram as condições econômicas, e não algum problema dentro da própria organização. Contratamos a plataforma digital Mechanical Turk para fazer o recrutamento dos homens e mulheres participantes, mais cultos do que a média da população. Nós os dividimos em quatro grupos e mostramos a cada um uma foto do porta-voz que anunciou os cortes. As fotos distribuídas não eram iguais: o mesmo indivíduo ora parecia muito atraente, ora nem tanto. Previamente, pedimos a não participantes que avaliassem o nível de atratividade dos executivos fotografados. Para que houvesse consistência nos resultados, todos eram brancos e usavam traje formal. Também usamos fotos de dois homens e de duas mulheres diferentes…

14 minutos
oceoda bayt.com fala sobre a construçãoda cultura da internet onde a internet não existe

EM 2018, DURANTE uma de minhas frequentes visitas à Arábia Saudita, me encontrei com um diretor de uma grande empresa de transporte e distribuição. Descrevi os serviços que minha empresa de recrutamento online, Bayt.com, poderia oferecer, mas ele não estava convencido. Dizia que enxergava a utilidade da Bayt.com para atrair trabalhadores de setores administrativos, mas não via como o modelo funcionaria para o operariado, como os motoristas dos quais seu negócio dependia. Fiz com que ele mudasse de ideia com uma simples demonstração: entrei no site da Baut.com e digitei saeq — a palavra árabe para “motorista” — no campo de busca. Apareceram várias sugestões relacionadas à palavra-chave, incluindo gírias e o termo em inglês. E os resultados mostravam que tínhamos 95 mil motoristas sauditas registrados em nosso site. Superar o ceticismo…

4 minutos
os ceos de melhor desempenho no mundo

EM 1993, JENSEN HUANG, um dos fundadores da NVIDIA, tinha em mente um único nicho ao criar a empresa: a construção de chips poderosos capazes de gerar gráficos para videogames de alta velocidade. Em 1999, quando a empresa abriu o capital e à medida que crescia nos anos 2000, os videogames continuaram impulsionando seu crescimento — mas, mesmo naquela época, Huang, um imigrante de Taiwan que estudou engenharia elétrica no Oregon State University e na Stanford University, vislumbrou um caminho diferente. Os cientistas de dados começavam a usar computadores para cálculos muito mais sofisticados e rápidos e a NVIDIA passou a gastar bilhões de dólares em pesquisa e desenvolvimento para criar chips compatíveis com aplicativos de inteligência artificial (IA). Em meados de 2010, seus chips para IA passaram a dominar…