EXPLORARBIBLIOTECA
searchclose
shopping_cart_outlined
exit_to_app
category_outlined / Negócios & Finanças
Harvard Business Review BrasilHarvard Business Review Brasil

Harvard Business Review Brasil Janeiro 2017

É a edição brasileira da mais importante revista de economia, gestão e négocios do mundo. Fundada há 91 anos, permanece na liderança das idéias revolucionárias que movem corporações em todo o mundo

País:
Brazil
Língua:
Portuguese
Editora:
RFM EDITORES Ltda
Ler Maiskeyboard_arrow_down
Nota Get %40 off discount!
ASSINATURA
US$140,33US$84,20
12 Edições

NESTA EDIÇÃO

access_time1 minutos
um novo formato para uma nova era

A partir deste ano, a Harvard Business Review Brasil terá dez edições impressas, com novo fomato e design, e duas edições exclusivamente digitais (janeiro e julho). As mudanças buscam criar valor ainda mais atraente para nossos leitores, integrando a revista a um rico ecossistema de produtos, experiências e eventos. O que não muda é a nossa profundidade e rigor. Pelo contrário, estamos produzindo mais conteúdo e incluindo recursos para ajudá-lo a implementar as ideias apresentadas na revista.Nossa proposta é lançar grandes ideias digitalmente de uma maneira provocativa, que beneficie os negócios e forneça uma ponte entre o material impresso e o futuro digital. Qual é o segredo para engajar funcionários? O inconformismo. Mas como promover este “espirito” nas pessoas sem sair dos trilhos? No foco deste mês, a professora da Harvard Business School…

access_time5 minutos
marketing marcas de luxo em baixa

Há quase uma década, especialistas em marketing estão debatendo o aumento do consumo discreto: a elite está preferindo compras mais simples a adquirir produtos de marcas luxuosas. Giana Eckhardt, professora de marketing na Royal Holloway, University of London, observa com grande interesse o crescimento dessa tendência nos EUA e na Europa. Todavia, foi durante um ano sabático na China, em 2012, que Eckhardt ficou convencida de que o consumo discreto é um fênomeno global e precisa estar no radar dos executivos de marketing das marcas de luxo. “A China supostamente seria a terra do consumo desenfreado, mas, de repente, uma boa parte dos chineses está tirando um sarro da ostentação de riqueza por meio do consumo e muitos, inclusive, compram roupas de marcas, mas tiram as etiquetas”, recorda Eckhardt. Para encontrar…

access_time2 minutos
“focamos em uma estratégia de imersão”

Como vocês estão se adaptando para atender esse novo consumidor? Nossa missão é “permaneça diferente”. Nenhum hotel no nosso portfólio é igual ao outro. Nosso resort nas ilhas Maldivas trabalha com o conceito de que luxo é ter espaço, isso significa que nosso hóspede terá um quarto com mais de 700 metros quadrados. Em Port Soller a vista é o luxo do local. Já em Istambul e em Roma estamos situados em prédios históricos; a ideia é focar a cultura local. E em Dubai, conhecido com um mercado de luxo, oferecemos serviços exclusivos hotéis-boutique e vilas à beira-mar. Sempre há algo para alguém. Você acredita que a repercussão contra o consumo de ostentação se espalhará? Pessoas de países desenvolvidos focam muito mais em consumo vinculado às emoções, às experiências, e isso…

access_time1 minutos
o estado lastimável dos conselhos nas organizações sem fins lucrativos

Conselheiros de organizações sem fins lucrativos muitas vezes apresentam baixos níveis de conhecimento e experiência, além disso, os conselhos dessas organizações também precisam de planejamento e procedimentos mais rigosos. Essas são algumas das conclusões de pesquisadores de Standford que recentemente entrevistaram 924 conselheiros de ONGs. Veja mais alguns achados do estudo: CONSELHEIROS NÃO POSSUEM HABILIDADES CRÍTICAS 27 dos conselheiros das ONGs disseram que colegas do conselho não entendem completamente a missão e a estratégia da organização 32 dos conselheiros não estão satisfeitos com as habilidades dos membros do conselho para avaliar a performance da ONG CONSELHOS NÃO POSSUEM PROCESSOS FORMAIS 42 não possuem um comitê de auditoria 69 não possuem planos de sucessão para o CEO ou para executivos-chave da organização CAPTAÇÃO DE RECURSOS ESTÁ SUPERESTIMADA 90 das ONGs requerem que seus conselheiros captem recursos, membros do conselho…

access_time3 minutos
o que a sua empresa pode aprender com os espaços de coworking ?

Os espaços de coworking — escritórios compartilhados por freelancers ou por profissionais que trabalham remotamente, que pagam uma taxa para usá-los — nunca estiveram tão em alta. Eles são uma opção atraente para pessoas que não querem trabalhar em casa e também ajudam a reduzir os custos de operação de algumas companhias. Uma nova pesquisa mostra ainda outro benefício desses escritórios: podem ajudar as pessoas a se tornarem mais felizes e produtivas. Gretchen Spreitzer, professora da Ross School of Business, de Michigan, elaborou um estudo sobre como as pessoas prosperam. Ela e mais dois colegas descobriram que profissionais que usam os espaços de coworking tiveram uma média próxima dos seis, na escala que mede prosperidade. O índice foi tão alto e intrigante que os pesquisadores tiveram de rever os dados. Eles…

access_time2 minutos
salários dos ceos influenciam na decisão de compra

Apesar da ampla cobertura da mídia sobre os altos salários de CEOs, um estudo mostra que o público em geral subestima drasticamente a diferença salarial entre CEOs e seus empregados. Um levantamento global detectou que as pessoas acreditam que a diferença salarial entre CEOs e empregados, em média, é dez vezes superior (mas acreditam que o correto seria cinco vezes) — contudo, os resultados estão longe dessa realidade. Na maioria dos países, essa diferença salarial é cinquenta vezes maior e, nos EUA, chega-se à supreendente média de 354 vezes. Saber a diferença salarial entre CEOs e empregados mudaria os hábitos dos consumidores? De acordo com uma nova pesquisa de Bhavya Mohan e dois colegas da Harvard Bussiness School, a resposta a essa pergunta é sim. Consumidores dizem que tendem a comprar…

help