EXPLORARBIBLIOTECA
searchclose
shopping_cart_outlined
exit_to_app
category_outlined / Negócios & Finanças
Harvard Business Review BrasilHarvard Business Review Brasil

Harvard Business Review Brasil Julho 2016

É a edição brasileira da mais importante revista de economia, gestão e négocios do mundo. Fundada há 91 anos, permanece na liderança das idéias revolucionárias que movem corporações em todo o mundo

País:
Brazil
Língua:
Portuguese
Editora:
RFM EDITORES Ltda
Ler Maiskeyboard_arrow_down
Nota Get 40% off with your subscription!
ASSINATURA
US$140,33US$84,20
12 Edições

NESTA EDIÇÃO

access_time1 minutos
gestão pessoal

Como negociar com mentirosos Leslie K. John | pág. 79 Todo mundo mente, negociantes inclusive. Por isso, ao tentar fazer um negócio, é importante precaver-se contra a decepção. A melhor estratégia, de acordo com a autora, é focar não em detectar as mentiras, mas em preveni-las. Ela destaca cinco táticas que a pesquisa mostrou serem eficientes: Encoraje a reciprocidade. Crie confiança e convença as pessoas a divulgar informações estratégicas compartilhando você mesmo suas informações. Faça as perguntas certas. Muitas vezes, os negociadores pecam por omissão, silenciando fatos relevantes, mas se forem questionados diretamente, a probabilidade de responderem honestamente é maior. Observe as evasivas. Não permita que suas contrapartes se esquivem de suas perguntas — escreva-as antecipadamente, anote as respostas e certifique-se de obter a informação que está procurando. Não se prenda à confidencialidade. Estudos mostram que…

access_time3 minutos
de corpo & alma

HBR: Você era conhecido por seu foco. Como se prepara mentalmente para a competição? Louganis: Comecei a dançar e fazer acrobacias com 1 ano e meio e aprendi visualização aos 3. Antes da minha primeira apresentação, fizemos ensaios gerais (eu usava smoking e chapéu), mas a minha professora sabia que se eu tivesse de treinar muito, ficaria cansado demais para subir no palco à noite. Então ela me colocou no estúdio, tocou a música e disse: “Imagine-se fazendo os exercícios”. Levou quatro sequências para que tudo ficasse completamente fluido, sem problemas. Ela, em seguida, puxou o andamento e disse: “Faça de novo”. Eu fiz. E quando me apresentei naquela noite, não perdi nenhum passo. Usava essa estratégia para tudo o que fazia: dança, ginástica, mergulho. É assim que me preparava. Depois de…

access_time6 minutos
os especialistas respondem

Seria um erro afastar um cliente neste momento. Scott Burns é o CEO e cofundador da GovDelivery. ANDREW MOSTRA que tem tino. Concordo que a Lumiscape tomou uma excelente decisão quando optou pelo regime de assinatura, mas seria um erro afastar um cliente neste momento. Vender para o governo requer uma mistura de estratégia e oportunismo. Se fosse executar este negócio, eu garantiria o pedido e procuraria maneiras de levar Houston ao modelo de assinatura mais tarde. Não me entenda mal. Sou um grande fã do modelo que Cameron e Stacy estão implantando, principalmente considerando que seus clientes estão no setor público. Assinaturas podem gerar uma fonte de receita perpétua e ser uma maneira de superar os altos custos da aquisição de clientes no longo ciclo de vendas com os governos. Minha empresa,…

access_time3 minutos
resumo da edição julho 2016

Diversidade é uma vantagem decisiva para as empresas porque melhora sua capacidade de inovação e de solução de problemas. Por que, então, é tão difícil implementá-la? O conjunto de artigos deste mês analisa por que grande parte dos esforços para promover a diversidade corporativa fracassa — e quais os passos práticos que impactam positivamente. DIVERSIDADE Por que fracassam os programas em prol da diversidade Frank Dobbin e Alexandra Kalev | pág. 48 Depois de as empresas de Wall Street terem desembolsado, recorrentemente, milhões em processos judiciais por discriminação, começaram a envidar sérios esforços para aumentar a diversidade. Infelizmente esses esforços não parecem estar produzindo os efeitos desejados: mulheres e minorias não ganharam muito terreno na área de administração nos últimos 20 anos. O problema é que as organizações estão tentando reduzir o viés com os…

access_time3 minutos
psicologia status elevado, estresse elevado

Por muitos anos os cientistas sociais acreditaram que pessoas com emprego de grande prestígio achavam o trabalho menos estressante do que aquelas em ocupações de baixo reconhecimento social. Segundo eles, quem atua em postos valorizados, em geral, têm maior autoridade, autonomia e estabilidade. Agora, a hipótese tem sido questionada por estudos segundo os quais longas horas e maiores exigências tendem a criar mais estresse para esse tipo de empregado. A pesquisa toma como base relatos diários, por isso não é fácil afirmar com precisão nenhuma das conjecturas. Um novo estudo que capta impressões em tempo real empresta suporte empírico para a hipótese de “estresse no caso de maior status”. Uma equipe liderada por Sarah Damaske, da Pennsylvania State University, recrutou 115 trabalhadores de período integral e analisou seu status socioeconômico (“elevado”…

access_time10 minutos
gestão pessoal como negociar com mentirosos

Inúmeras pesquisas em psicologia social indicam que as pessoas mentem — e mentem com frequência. Um estudo proeminente descobriu que contamos, em média, uma ou duas mentiras todos os dias. Os negociadores não são exceção. A julgar por estudos feitos em 1999 e 2005, cerca de metade das pessoas que negociam mentem quando têm motivo e oportunidade de fazê-lo. Normalmente, elas veem isso como uma maneira de assumir o controle (embora isso possa, na realidade, causar reação e comprometer o tipo de solução criativa que leva a acordos em que todos ganham). A mentira é, portanto, um dos aspectos intangíveis para os quais os negociadores devem se preparar, tomando medidas para evitá-la. Muitos acham que a solução é se aprimorar em detectar mentiras. Há uma noção generalizada de que se pode…

help