EXPLORARBIBLIOTECA
Comida & Vinho
Sabor Club

Sabor Club Edicao 21

Sabor.Club faz parte de uma plataforma de comunicação criada para enriquecer experiências gastronômicas. Com um olhar moderno, nós buscamos e propagamos informação para revelar não só comida, mas também o modo de vida

País:
Brazil
Língua:
Portuguese
Editora:
Inner Publishing Net LLC
Periodicidade:
Back issues only
Ler Mais

nesta edição

1 minutos
editorial

Sabor.club, o manifesto: • Nós comemos • Nós bebemos • Nós cozinhamos • Nós viajamos (para comer) • Nós conversamos (também sobre comida) • Nós acreditamos que comer é uma das grandes maravilhas da vida – e viva a boa mesa! “TODO MUNDO PODE COZINHAR” É A MÁXIMA DO chef Auguste Gusteau, de Ratatouille, a inspiradora animação da Pixar. É verdade, porque cozinhar, no fundo, é algo muito simples. Vai um pouquinho de gordura, cebola boa, alho cortado na hora e, a partir dessa base brasileirinha, fazemos o que quisermos com um sem número de ingredientes. Desde o feijão, com aquele gostinho de quero mais, até um risoto, dito mais sofisticado. O que vem depois é a criatividade e o exercício. Fazer e errar. Fazer de novo. E novamente, como tudo na vida. Claro, ter referências ajuda muito.…

2 minutos
o caçador de queijos

O CARIOCA ANDRÉ DEOLINDO É UM sujeito que dirige muito. Volta e meia tira os chinelos, coloca o chapéu de peão e segue estrada afora, rumo ao interior do Rio, de São Paulo, de Minas, do Mato Grosso, da Bahia e de estados do Sul também. Sempre em busca de um único produto: o queijo artesanal. O universo que o envolve, afinal, é absolutamente encantador. Desde o contato com as famílias que produzem queijo, passando pelos lugares onde elas moram e, claro, as histórias que elas têm para contar. O produtor de queijo, com uma bagagem adquirida dos antepassados, muitas vezes com 90, 100 anos de lida, parece fazer parte de um mundo que parou no tempo. Os dias são lentos, o processo deles é minucioso, paciente. E esse ritmo, no…

1 minutos
a queijaria do deolindo

Tulha – Da Fazenda Atalaia, em Amparo (SP), com leite de vacas holandesas. Massa untuosa e leve picância. Bráz Matogrossense – Do italiano Stefano Pollaccia, de Cuiabá (MT). Com massa cozida e prensada, maturado de seis a oito meses. Levemente adocicado. Queijo do Coronel – De Alagoa (MG) vem o Parmesão da Mantiqueira, uma iguaria com apenas 20 peças produzidas por ano. Azul do Bosque – É o único queijo de cabra de mofo azul do Brasil, do Capril do Bosque, em Joanópolis (SP). De sabor intenso. Capim Canastra – Feito em São Roque (MG) há cinco gerações. Foi premiado no Mondial du Fromage, na França. Tem uma acidez fascinante.…

1 minutos
furos que adoramos

Para os queijeiros, eles são chamados de olhaduras e surgem nos queijos de cru, devido a presença de um microrganismo presente no leite, chamado Propionibacterium shermanii, o Propiônica para os íntimos. Com a palavra, Deolindo: “Ele surge de vez em quando, independentemente de época do ano ou clima. Visita alguns produtores, depois vai embora. Para saber mais sobre o sabor adocicado que proporciona, pergunte ao produtor ou queijeiro de confiança se ele está presente no laticínio. Quando está, quem come não esquece jamais”…

1 minutos
sardinhas nas alturas

O chef francês, Jérôme Dardillac, não é um dos mais falados no mundinho da nossa gastronomia. Mas deveria. Entusiasta do sabor, ele teve uma ideia genial, já em curso no 23 Ocean Lounge, restaurante no topo do hotel Sofitel Ipanema, com uma das vistas mais lindas do planeta, em torno dele. Todos os sábados, ele sai da cozinha e vai para a churrasqueira, montada ao lado da piscina, para colocar peixes e frutos do mar na brasa. O cardápio é curto e preciso: tem sardinha e pargo assados inteiros; tem camarão e polvo, para quem quer algo mais sofisticado. Tão bom quanto a matéria-prima, o ponto dos pescados, o serviço e o visual... é o preço: recentemente comi um olhete na brasa, numa praia do litoral paulista. Ordinário. Paguei o…

1 minutos
salve, mestre!

O francês, que comemora 40 anos de profissão, é o grande formador da confeitaria no Brasil. Sem o Fabrice, não seria possível chegarmos ao ponto de questionar que é preciso encontrar um caminho para a tal da “confeitaria brasileira”. Para celebrar, ele convidou alguns dos seus alunos para servirem doces criados para a ocasião. Até o fim do ano, gente como o Elson Dias, do Fasano (SP), fará delícias como a Truffle (mousse de chocolate 70%, em forma de trufa, com crocante de flocos de milho com avelã). A Suzana Wascheck, do Zizi Bistrô (SC), fará a Nostalgie (maria-mole de coco e frutas vermelhas com praliné de nozes e chocolate 70%), e por aí vai. Pâtisserie La Douce France Al. Min. Rocha Azevedo, 419, Jardins, São Paulo – SP…