ZINIO logotipo
EXPLORARBIBLIOTECA
Comida & Vinho
Sabor Club

Sabor Club Edicao 36

Sabor.Club faz parte de uma plataforma de comunicação criada para enriquecer experiências gastronômicas. Com um olhar moderno, nós buscamos e propagamos informação para revelar não só comida, mas também o modo de vida

Ler Mais
País:
Brazil
Língua:
Portuguese
Editora:
Inner Publishing Net LLC
Periodicidade:
Back issues only

nesta edição

2 minutos
editorial

Sabor,.CLUB o mnifesto • Nós comemos • Nós bebemos • Nós cozinhamos • Nós viajamos (para comer) • Nós conversamos (também sobre comida) • Nós acreditamos que comer é uma das grandes maravilhas da vida – e viva a boa mesa! FAZ TEMPO QUE NÓS insistimos aqui que comida é coisa de alma e que, por isso, histórias são mais importantes do que receitas. Até porque são delas que nascem as alquimias que vão para os pratos. São elas que traduzem o que os bons cozinheiros têm de mais profundo. E isso sim tem um ótimo gosto. Nesta edição chegamos ao auge desta filosofia, ao conhecermos a fascinante trajetória do Claude Troisgros. Por trás daquela figura adorável que vem conquistando o Brasil em horário nobre da TV, há um cozinheiro forjado a um envolvimento dúbio com o pai,…

2 minutos
orgânicos da quebrada

Mano Brown e Seu Jorge já cantaram no fabuloso Festival Percurso, mas o melhor de qualquer festa, como se sabe, mora na cozinha. O encontro no fim do ano da chef paulista Bel Coelho e da cozinheira e socióloga Tainá Marajoara, entre as panelas de Cleunice Maria, a Tia Nice, é a síntese de uma ponte única de conexões criadas na periferia. As raízes foram plantadas em casa de muitos cômodos e paredes grafitadas em Campo Limpo, no Capão Redondo, onde brota uma das maiores redes de produtos orgânicos e comércio sustentável da capital paulista, acionada por toda a cidade via WhatsApp. “Éo MasterChef da quebrada. Uma aula aberta de cozinha e vida”, brinca o articulador Thiago Vinícius, sobre a reunião das três mulheres citadas para cozinhar e debater no Percurso,…

1 minutos
cerveja da roça

Ela tem azedinha, cambuci, caraguatá e Pancs diversas Os produtos que chegam ao Campo Limpo vêm de parceiros como o Instituto Terra Viva, em Sorocaba, e o fazendeiro Rafael, de São Lourenço da Serra, que faz também a série de cervejas Da Roça. Há pilsens em versões que levam azedinha, cambuci, caraguatá e Pancs diversas. Outro destaque do Capão é o Prato Firmeza (@pratofirmeza, no Instagram), o ‘guia gastronômico das quebradas de SP’, feito por estudantes de jornalismo da periferia. “De onde vêm os cozinheiros dos grandes chefs? A cozinha do mundo está na periferia, essa reflexão é importante”, diz Thiago.…

1 minutos
a turquia é aqui

Você já foi a Turquia, nêga? Não? Então vá. O parafraseio respeitando a rima da antólogica letra do nosso Dorival Caymmi é apenas para dizer que o país dos mezzes (aperitivos servidos quentes ou frios) está mais perto de nós do que a nossa vã noção de distância pode imaginar. E não porque o balcão de mármore turco pousa imponente no bar da casa, despojadamente decorada com referências árabes, numa pegada bem original. Muito menos porque se esquecermos que falam português na mesa ao lado, parece até que estamos num dos restaurantes de Moda, o descolado bairro na parte asiática de Istambul. A viagem para porção oriental do Mediterrâneo, na verdade, acontece pela boca, quando comemos os pratos da chef Fernanda Campagnoli, uma craque na cozinha israelense, que se aprofundou na…

1 minutos
3 bares de cerveja saborosos

1 BOTECO DO RAONI (RJ) – O ‘youtuber’ que abriu bar serve o chope pessoalmente, com suas tiradas divertidas. As seis torneiras têm ótimas novidades, ao lado de máquina de fliperama com jogos clássicos. 2 JURAMENTO 202 (MG) – O armazém de ‘secos e molhados’ da cervejaria Viela leva a gente a outros séculos, tem vitrola para a trilha sonora, tábuas de frios e um panorama da produção artesanal mineira. 3 CROMA BEER CO. (SP) – Que maravilha dispor de 15 torneiras na própria fábrica de uma das melhores cervejarias brasileiras. E ainda traçar o sanduíche de camarão!…

2 minutos
chocolate com pimenta

A pimenta Jiquitaia é colhida apenas pelas índias da comunidade Baniwa – e acaba ganhando o nome dela Cacau da floresta tratado com esmero e respeito pelos produtores nativos, e um toque da pimenta produzida pelas mulheres indigenas Baniwa, no Alto Rio Negro. Falamos aqui de cultura e sustentabilidade, mas também de sabores marcantes e intensidade no paladar, num chocolate daqueles que a gente deve degustar sem pressa, deixando derreter na boca. O Na’kau 72% Cacau com Pimenta Baniwa é um dos produtos que se destacam na fantástica fábrica de chocolate amazônico, fruto de um sonho realizado por um grupo de produtores, que teve o auxílio de um pesquisador dos produtos nascidos na mata para desenvolver as barras de altíssimo nível. Vivendo no interior da Amazônia, os parceiros Dona Dinorath Figueiredo, Orange Aires,…