ZINIO logotipo
EXPLORARBIBLIOTECA
Sabor Club

Sabor Club Edicao 38

Adicionar aos favoritos

Sabor.Club faz parte de uma plataforma de comunicação criada para enriquecer experiências gastronômicas. Com um olhar moderno, nós buscamos e propagamos informação para revelar não só comida, mas também o modo de vida

Ler Mais
País:
Brazil
Língua:
Portuguese
Editora:
Inner Publishing Net LLC
Periodicidade:
Back issues only

nesta edição

1 minutos
editorial

Sabor,.CLUB o manifesto: • Nós comemos • Nós bebemos • Nós cozinhamos • Nós viajamos (para comer) • Nós conversamos (também sobre comida) • Nós acreditamos que comer é uma das grandes maravilhas da vida – e viva a boa mesa! POBRE DE QUEM não dá valor ao que come (e ao que bebe, claro), que vai à mesa (muitas vezes, nem isso), para comer por comer. Perceber a construção do gosto e entregar-se a ela é, indiscutivelmente, um dos maiores prazeres da vida humana, muito bem comparado pelo sábio e elegante General Löwenhielm (Jarl Kulle), em A Festa de Babette (1987), ao sexo com quem se ama. Não é à toa que a nossa língua está coberta das pululantes papilas gustativas, agentes hipersensíveis, ligadas diretamente ao sistema nervoso central, capazes de captar os mínimos detalhes do que…

3 minutos
acabou no boteco, comendo galeto e tomando cachaça

EM SEU COTIDIANO EM NOVA YORK, cidade onde planeja construir um restaurante de conceito inédito no mundo, Mads Refslund come apenas vegetais e peixes, de preferência sushis. Mas há inesperadas exceções para confirmar a regra do chef dinamarquês que foi cofundador do premiado Noma, e ganhou estrela Michelin à frente do MR, em sua terra natal. Por exemplo, uma noite comendo corações de galinha e galetos com as mãos, provando boas cachaças e batendo papo na calçada do Galeto Sat’s, botequim disputado que vira a noite em Copacabana. É onde Mads e a namorada brasileira foram relaxar após um jantar cheio de surpresas aromáticas e visuais, com pratos criados poucas horas antes pelo chef, em menu dividido com o francês Jérôme Dardillac, no restaurante Marine, do Hotel Fairmont, com vista para…

2 minutos
mel de luxo

Foi no ano de 1900 que o belga Maurice Maeterlinck, vencedor do Prêmio Nobel de Literatura, publicou em seu livro The Life of the Bee: “Se as abelhas desaparecerem da face da terra, o homem terá mais quatro anos para viver”. Não é difícil imaginar o que as pequenas voadoras passaram ao longo do último século, incentivando projetos de preservação e ampliando a aura divina do mel, um dos mais antigos produtos consumidos pelo ser humano, com potencial inspirador para a gastronomia. Com plataforma de sustentabilidade construída em ações envolvendo sua rede de hotéis de luxo, a Fairmont desenvolveu projeto inédito que envolve as operações gastronômicas, cria atividades ecológicas para os hóspedes e contribui para o meio ambiente saudável. O programa Bee Susteinable acaba de chegar ao Fairmont Rio, o primeiro hotel…

1 minutos
parque de diversões

Quando um chef diz que faz comida sem invenções para divertir, num misto de bar com música alta, restaurante e terraço, em Ipanema, há motivos para manter um pé atrás. Muitas coisas abrem no Rio querendo ser muitas coisas, se é que os amigos me entendem, e acabam não sustentando padrão algum. Com o chef Bruno Katz à frente desse parque de diversões, e o bartender Daniel Estevan cuidando do que é líquido, o Nosso causa supresas e seduz noite adentro quem chegou só a fim de um petisco no caminho de casa. Foi o meu caso em noite no início da semana, relaxado no sofá diante da ostra com sorbet de manga picante, espuma de limão e pipoca de quinoa. A boca instigada pediu mais e vieram petiscos de ingredientes fresquíssimos,…

1 minutos
3 docinhos para sonhar

1 DOCE DE LAURA (SP) – Os docinhos da D. Laura Estima faz sucesso desde ela abriu uma lojinha na Vila Madalena. Cresceu, mudou para um lugar maior, mas os enrolados, como os brigadeiros e beijinhos, continuam apaixonantes. 2 MENININHA DOCES (RJ) – A mineira D. Ilda Menezes Silva está do lado do restaurante Guimas, um clássico carioca. Lá, ela mesma faz e serve, entre outros, dois amores, olho de sogra e um camafeu de tirar o chapéu. 3 ALICE QUINDINS (SP) – O nome entrega a especialidade, feita com esmero e receita que realmente beira a perfeição.…

1 minutos
olho nela

O primeiro restaurante da jovem Giovanna Grossi nasceu badalado. Isto porque a cozinheira de 28 anos ganhou a etapa brasileira do concorrido Bocuse D’or, um dos maiores concurso de gastronomia do mundo. Depois disso, para ir a final mundial, foi treinada por um time de craques, incluindo o nosso gran mestre Laurent Suaudeau. A influência do francês é clara na execução dos pratos, embora eles tragam um acento brasileirinho, com passagens por Minas e pelo Nordeste (Giovanna é alagoana). Todos servidos em pequenas porções para compartilhar. A ideia é proporcionar um passeio aleatório pela cozinha autoral da chef. No começo é estranho, no fim é divertido. Há altos (como a surpreendente vagem com mostarda, azeitona preta, castanha de caju caramelizada e queijo) e baixos (como o tartare de carne com maionese e…