Nautica e Aviazione
AERO Magazine

AERO Magazine Edicao 309

AERO Magazine é a revista mais lida por proprietários de aeronaves e pilotos do Brasil, e traz todos os meses os lançamentos e novidades do mercado, orientações para a compra e manutenção de aeronaves, avaliação de aeroportos e da infra-estrutura aeroportuária, artigos técnicos, reportagens históricas e coberturas especiais das principais feiras do mundo. Leia e comprove porque AERO Magazine é a líder em aviação no Brasil.

Paese:
Brazil
Lingua:
Portuguese
Editore:
Inner Publishing Net LLC
Frequenza:
Monthly
Leggi di più
COMPRA NUMERO
2,63 €(VAT inclusa)
ABBONATI
17,58 €(VAT inclusa)
12 Numeri

in questo numero

2 minuti
uma mudança conceitual

O A321 nasceu com o propósito de transportar mais passageiros em rotas curtas operadas por aviões de corredor único, como seu irmão mais novo, o A320. Com o passar do tempo, e o desenvolvimento de uma nova geração de motores mais eficientes, esse conceito mudou. Hoje, o A321neo vem sendo usado para cumprir voos longos embarcando menos gente do que jatos como o Boeing 757. O lançamento de versões com ainda mais alcance, a LR e a XLR, reforça essa tendência. É o que mostramos na matéria de capa desta edição, um minucioso ensaio em voo assinado pelo comandante Paulo Marcelo Soares do primeiro A321neo a entrar em operação no Brasil, o PR-YJA, da Azul. Ainda na aviação comercial regular, destacamos o voo inaugural da nova versão de um ícone do…

2 minuti
first class

VISÃO NOTURNA Os sistemas de visão noturna da Newcon Optik funcionam acoplados ao capacete, permitindo aos pilotos operar aeronaves em situações de completa escuridão. Com sistema de rebatimento, estão disponíveis nos modelos NVS 6-3XT e NVS 9-3AG, este último com auto-gate, que compensa automaticamente variações bruscas de luminosidade. US$ 15.500 www.newcon-optik.com LUZ NA CABECEIRA Produto exclusivo da Wright Bros Collection, a luminária Taxiway Light Lamp imita com detalhes as lâmpadas das pistas de pouso dos antigos aeroportos norte-americanos. O modelo tem cerca de 40 centímetros de altura, é feito em aço e conta com duas lâmpadas LED independentes. As lentes do topo estão disponíveis em várias cores. US$ 220 www.sportys.com FOCO NA MALA Um transporte seguro de equipamentos fotográficos profissionais em viagens aéreas. É o que prometem as malas Think Tank Photo. O modelo Airport Roller Derby…

5 minuti
os aviões com três motores

Os trimotores marcaram época no transporte aéreo regular de passageiros e ainda hoje se mostram eficientes tanto na aviação de negócios como na de carga. Eles surgiram em uma época em que havia menos oferta de motores e os padrões de segurança eram mais baixos. Os primeiros projetos nasceram de situações em que faltavam no mercado motores com dimensões e potência adequadas para um projeto bimotor. Naquela época, as aeronaves a pistão e os primeiros jatos apresentavam falhas mecânicas que causavam a perda de motores em voo. Por isso, nas rotas sobre oceanos ou regiões sem opções de pouso, era exigido que os aviões comerciais tivessem ao menos três motores. Até meados dos anos 1970, bimotores só podiam voar em rotas onde houvesse um aeroporto alternativo a 60 minutos de distância…

3 minuti
speed brakes

Se você tem costume de viajar em aviões a jato de carreira, provavelmente já viu um speed brake funcionando. São aquelas superfícies de metal que se levantam no dorso das asas, usualmente acionadas pelos pilotos quando o avião está em procedimento de descida para o pouso, e também na frenagem, logo após o toque na pista. Caças e treinadores militares a reação também os utilizam. Bem menos usual é a presença desse tipo de recurso em aviões de pequeno porte tracionados a hélice. Mas, nos últimos anos, à medida que o formato da fuselagem desses aparelhos vem se tornando cada vez mais aerodinâmico, o arrasto induzido diminuiu significativamente. Com isso, as dificuldades para reduzir a velocidade dos aparelhos durante o voo aumentaram. Nesse tipo de avião, é comum que a simples…

2 minuti
que óleos lubrificantes devo usar?

A escolha do óleo lubrificante utilizado em sua aeronave, seja um avião ou um helicóptero, tanto no motor (a pistão ou a reação) como em suas respectivas transmissões, deve ser feita levando em consideração diversos fatores operacionais, dentre os quais o local de utilização e o regime de voo, a temperatura do ambiente, a altitude de voo e a facilidade de acesso à compra do produto. Em todos os manuais de voo, uma verdadeira sopa de letrinhas com especificações de óleos aprovados, utilizando padrões comerciais ou técnicos, podem confundir pilotos, mecânicos e operadores quanto a qual óleo utilizar. Isso ocorre porque, apesar de uma especificação ser comum a um óleo, a diferença de marca ou fabricante pode determinar danos e causar falhas potencialmente catastróficas a uma aeronave. Por isso, nos manuais…

8 minuti
na rede

TERRA, GRAMA E NEVE A Pilatus obteve junto à Easa a certificação definitiva para operar com o PC-24 em pistas não preparadas. A licença permite ao avião decolar e pousar em pistas de grama, terra molhada, areia seca, cascalho ou neve. O PC-24 é o primeiro avião a jato da aviação de negócios projetado e certificado para operar sem restrições em pistas não pavimentadas. A capacidade praticamente dobra o número de pistas no mundo aptas a receber a aeronave. A aprovação para operações em areia seca e cascalho foi obtida em 2018 e o acréscimo de pistas de terra molhada ou cobertas de neve foi resultado de uma campanha de testes de pós-certificação realizada em 2019. “O PC-24 provou que é capaz de voar em toda a gama de missões para…