Negocios y Finanzas
Harvard Business Review Brasil

Harvard Business Review Brasil Julho 2019

É a edição brasileira da mais importante revista de economia, gestão e négocios do mundo. Fundada há 91 anos, permanece na liderança das idéias revolucionárias que movem corporações em todo o mundo

País:
Brazil
Idioma:
Portuguese
Editor:
RFM EDITORES Ltda
Leer Más
SUSCRIBIRSE
USD97.56
12 Números

en este número

2 min.
o problema da integridade

RECENTEMENTE, O NOTÍCIÁRIO foi tomado por histórias de apropriação indébita, suborno e outros tipos de corrupção corporativa. Em uma pesquisa de 2018, a PwC descobriu que, no ano anterior, quase metade das 7.228 empresas participantes havia sido vítima de crime econômico ou fraude — ante 30% em 2009. Logo, não é exagero dizer que o crime de colarinho branco é um problema crescente. E tem custos consideráveis: destrói o valor para o acionista, drena os recursos da gestão e mancha a imagem da empresa, por vezes de forma irremediável. A mesma pesquisa da PwC descobriu também que mais de metade dos criminosos de colarinho branco eram “atores internos” — fenômeno abordado por Paul Healy e George Serafeim, da Harvard Business School, em “Como blindar sua empresa contra escândalos” (página 20). Eles…

9 min.
radar

NA TEORIA AS FORMAS ERRADAS DE FORTALECER A CULTURA Os três erros que frustram muitos esforços EM COMPARAÇÃO COM OUTRAS atividades dos líderes empresariais, como contratação certa de talentos e definição de estratégias, a mudança de cultura corporativa pode ser particularmente desafiadora. A cultura é amorfa. Não há instrumentos diretos para mudá-la numa direção ou outra. Há indicações de que atualmente os CEOs estão considerando esses aspectos da liderança altamente prioritários, como jamais fizeram antes. De acordo com um estudo da empresa de pesquisa e consultoria Gartner, os CEOs mencionaram a cultura com frequência 7% maior nos resultados de teleconferências em 2016 do que em 2010. Nas pesquisas, tanto CEOs como CHROs afirmam que “gerir e melhorar a cultura” é prioridade máxima da gestão de talentos. E os dados indicam que há…

13 min.
como eu fiz a ceo do grupo match fala sobre inovação em uma indústria que muda rapidamente

A transformação ocorrida no grupo Match desde que passei a trabalhar para a empresa, há 12 anos, é impressionante. Naquele tempo, sites de relacionamento só podiam ser acessados de um desktop ou de um laptop. Com frequência, os sites exigiam taxas mensais e muita paciência dos usuários, que passeavam pelos perfis enquanto aguardavam respostas. O namoro online também carregava forte estigma, por isso, se um casal havia se conhecido no Match, muitas vezes mentiam dizendo que haviam sido apresentados “por amigos”. Embora os sites contassem com algoritmos rudimentares em seus primórdios, a maior parte dos usuários confiava na “busca aberta”: liam inúmeros perfis que podiam ter pouca relevância na esperança de encontrar alguém que, de fato, desejassem conhecer. Se hoje você descrever esse processo a um usuário de 25 anos do Tinder…

1 min.
em resumo

O PROBLEMA Apesar dos gastos corporativos exigidos pelo governo em sistemas para desencorajar o crime de colarinho branco, os dados e evidências informais indicam que ele continua aumentando. AS CAUSAS As pesquisas sugerem que o verdadeiro culpado não são os sistemas, mas a fraca liderança e culturas corporativas falhas que forçam os funcionários a aumentar os lucros a qualquer custo. A SOLUÇÃO Os líderes precisam transmitir a mensagem de que o crime prejudica toda a organização, punir os infratores igualmente, contratar gestores íntegros, criar processos de tomada de decisão que reduzam a oportunidade de atos antiéticos ou ilegais e ser defensores da transparência.…

10 min.
em sua empresa, onde há maior probabilidade de ocorrerem lapsos de integridade?

EM TODAS AS ORGANIZAÇÕES de grande porte ocorrem lapsos de integridade — áreas onde o que é considerado comportamento apropriado diverge das normas estabelecidas por seus líderes. Nesse universo, linguagem ofensiva, práticas de vendas exageradamente agressivas ou conflitos de interesse podem ser relevados ou até implicitamente tolerados. Esses lapsos não só colocam em perigo a reputação da empresa, mas também impõem riscos regulatórios e de confiabilidade. Os líderes corporativos não percebem a importância dos lapsos de integridade até que o problema se transforme em crise e surjam ameaças de ação do governo ou de processos judiciais. Os membros do conselho geralmente são surpreendidos e perguntam “por que não detectamos isso antes? Não deveríamos saber onde estávamos vulneráveis e como?”. Espera-se que a compliance e seus programas éticos impeçam essas crises, mas…

10 min.
“estamos deparando com tudo, do crime organizado a funcionários irritados”

QUANDO ERIK OSMUNDSEN SE tornou CEO da Norsk Gjenvinning (NG), a maior gestora de resíduos e reciclagem da Noruega, em 2012, ele acreditava que a empresa estava pronta para a consolidação, profissionalização e expansão interna — e que o movimento para a reciclagem representava uma grande oportunidade. Mas o que Osmundsen não percebeu foi que a gestão de resíduos na Noruega estava mergulhada na corrupção — assim como no mundo todo. (Antes de trabalhar como consultor financeiro externo na empresa de participação privada que adquiriu a NG em 2011, ele não tinha experiência no setor.) Ao descobrir os problemas da NG, logo depois de assumir a direção, Osmundsen, agora com 50 anos, decidiu infundir práticas éticas na empresa e transformá-la em modelo exemplar. Ele conversou recentemente com o editor sênior…