ZINIO-logo
UTFORSKBIBLIOTEK
Revista Natureza

Revista Natureza

Edicao 400
Legg til i favoritter

Maior revista brasileira de jardinagem e paisagismo, a revista Natureza traz dicas de como cultivar belíssimas plantas ornamentais, projetos paisagísticos e lindas imagens. Com o maior número de leitores no segmento de jardinagem e paisagismo, a Revista Natureza se destaca pela credibilidade que goza com os seus leitores, a ponto de ter uma grande comunidade nas redes sociais. O Clube dos Amantes da Natureza também é um importante sinal da importância e, principalmente, do envolvimento que estes leitores tem com a publicação. Associar a sua marca à principal revista de jardinagem e paisagismo só pode gerar bons resultados.

Les mer
Land:
Brazil
Språk:
Portuguese
Utgiver:
Editora Europa LTDA
Hyppighet:
Monthly
KJØP UTGAVE
kr 16,55
ABONNER
kr 166,35
12 Utgaver

i denne utgaven

3 min.
viaje no tempo com a natureza

Mais do que história e serviço, uma revista precisa ter magia e encantamento. Quando você pega na mão esta edição 400 e olha com estranheza o fac-símile da Sítios & Jardins número 1 (depois rebatizada de Natureza), na verdade está recebendo um convite para entrar em uma máquina no tempo. Capa por capa, elas vão retrocedendo uma a uma, às dezenas, às centenas, até parar em 1987, na edição número 1. E olha quem surge: Burle Marx está vivo, passeia com seu cachorro pelo sítio, posa para fotografias de uma revista que sequer existia. Mas ele, o precursor que tantas sementes plantou, também acreditou que aquela “sementinha” editorial pudesse germinar. Sim, Burle Marx, somos muito honrados que nossa história comece com você, que seja nosso padrinho. Essa primeira entrevista, na primeira edição,…

1 min.
curiosidade

Uma planta diferentona é a rainha dos Andes. Nem parece, mas a Puya raimondii é uma bromélia. Aliás, a maior da espécie, e pode chegar a 15 m de altura. É uma planta sem pressa, que demora cerca de 80 anos para soltar sua inflorescência. E que inflorescência: até 20 mil flores que duram três meses e podem gerar de 8 a 12 milhões de sementes. Como é uma planta “semelpar”, morre após a floração. A Puya raimondii é uma espécie em risco de extinção, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza, já que existem apenas três populações dela na natureza.…

5 min.
outras novidades direto da redação

Memorize essa palavra: bookzine. Isso mesmo, uma mistura de livro (book) com revista (magazine), que é o que há de mais avançado no mundo das publicações impressas. Todos nós, editores, sempre sonhamos que nossas revistas tivessem em cada página a qualidade das fotografias impressas uma a uma. Poxa, estamos falando de flores magníficas, árvores esplêndidas, canteiros floridos. Pois as imagens de um bookzine são assim, perfeitas, como fotografias. Mas a gente não queria uma publicação tão grande a ponto de cansar só de olhar. Queríamos que tivesse o número de páginas necessário para a gente poder falar — e mostrar — o suficiente para que o assunto fosse entendido em profundidade. Pois o bookzine tem 52 páginas, o tamanho exato para informar sem cansar. Para ficar perfeito, nosso sonho de editor era…

4 min.
o enigma da renanthera coccinea

ERWIN BOHNKE é orquidólogo há mais de 40 anos e dá palestras e cursos sobre orquídeas no Brasil e no exterior. Recentemente, mudou-se para Aracaju, onde mantém uma pequena produção de orquídeas e é diretor técnico da Orquidófilos Associados de Sergipe (OASE) Outro dia me peguei pensando em como nos tornamos imediatistas. Não estou falando da pressa em ver as orquídeas crescerem e darem flores, porque isso sempre existiu, mas da urgência em saber tudo sobre elas, de preferência com um apertar de botão. Hoje, quando encontro uma orquídea diferente, subo uma foto no Google e recebo um mundo de informações sobre ela. Às vezes, não encontro a espécie exata, mas o direcionamento para novas pesquisas está ali. Chega a ser covardia comparar com os tempos pré-internet, quando eu tinha que esperar…

1 min.
a beleza quente dos jardins tropicais

Eu nunca escondi. Por mais que ame plantas de todo tipo, foram as tropicais que me atraíram para estar hoje, aqui, escrevendo na Revista Natureza, e acredito que não seja o único que foi irreversivelmente fisgado pela estética exuberante vinda dos trópicos. Toda aquela profusão de formas, quase sempre exageradas na cor e no tamanho, cativaram os olhos da humanidade, algumas vezes pelo atraente exotismo, outras vezes por estarem associadas a ambientes de grande alegria e relaxamento. Aliás, por mais que a civilização tenha tido seus maiores avanços fora do mundo tropical, todos parecem sonhar em alcançar o momento de poder relaxar sob uma palmeira. Se é assim, nada mais justo que aprender alguns truques para ser capaz de configurar seu próprio pedaçt do paraíso.…

2 min.
quase um estado de espírito

O jardim tropical recebe este nome por conta das plantas que usualmente vicejam nas regiões mais quentes e úmidas do planeta, concentradas ao longo de uma faixa que se estende tanto ao norte quanto ao sul da linha do Equador. Com o tempo, observou-se que boa parte dessas áreas mais quentes está entre duas outras linhas imaginárias de importância geográfica, conhecidas por serem os últimos pontos onde o sol fica realmente a pino em alguma época do ano. As tais linhas foram batizadas de trópicos, ficando o Trópico de Câncer aproximadamente a 23o26’ de latitude norte e o Trópico de Capricórnio aproximadamente a 23o26’ de latitude sul. Não demorou muito para se associar o calor e a umidade constante à faixa entre tais linhas, cunhando-se o termo “tropical” para definir…