EXPLORARBIBLIOTECA
searchclose
shopping_cart_outlined
exit_to_app
category_outlined / Ciência
National Geographic Magazine  PortugalNational Geographic Magazine  Portugal

National Geographic Magazine Portugal Abril 2019

National Geographic Magazine é uma revista única no seu género. Mais de 100 anos a publicar as explorações e descobrimentos dos seus cientístas, exploradores e fotógrafos. Mais de 100 anos mantendo-se fiel ao seu compromisso de velar pelos bens culturais, históricos, antropológicos e naturais do nosso planeta.

País:
Portugal
Língua:
Portuguese
Editora:
RBA REVISTAS PORTUGAL
Ler Maiskeyboard_arrow_down
Nota Get 40% off with your subscription!
COMPRAR EDIÇÃO
2,32 €(IVA Incl.)
ASSINATURA
18,52 €11,11 €(IVA Incl.)
12 Edições

NESTA EDIÇÃO

access_time2 minutos
os problemas e as soluções

EM JUNHO DE 2018, a revista National Geographic assumiu um compromisso com os leitores. Na medida das suas possibilidades, alargaria a sua missão enquanto organização especializada no relato de histórias com ressonância cultural e ambiental e aceitaria o repto de tentar também transformar o mundo em que nos movemos. Iniciou-se nessa data um processo de transição para um modelo de funcionamento menos baseado no plástico, um material fantástico, que marcou a evolução do mundo no século XX, mas cujo impacte invariavelmente termina nos oceanos. Em alguns dos países onde a revista é publicada, essa transição aconteceu de imediato. Noutros, como em Portugal, foi necessário encontrar os parceiros adequados para cumprir essa meta – que os leitores, muito justamente, nos cobraram de imediato. Encontrámos esse parceiro na The Navigator Company. Precisamente no mês…

access_time2 minutos
futuro

Até 2050 prevê-se que a população global atinja 9.800 milhões de habitantes. Calcula-se que 70% dessas pessoas viverão em áreas urbanas. Perguntámos ao gabinete de arquitectura e planeamento Skidmore, Owings & Merrill (SOM) como projectaria uma cidade do futuro? O plano exige que seja a ECOLOGIA a orientar o desenvolvimento. As fontes de RECURSOS HÍDRICOS são protegidas e existem sistemas para captar a água, tratá-la e reutilizá-la. A ENERGIA é renovável e a cidade continua HABITÁVEL , mesmo quando aumenta a densidade. Os RESÍDUOS transformam-se em recursos. Os ALIMENTOS são cultivados localmente e de forma sustentável. Os comboios de alta velocidade melhoram a MOBILIDADE . As autoridades apoiam a CULTURA E O PATRIMÓNIO de uma população diversificada. A emissão de carbono das INFRA-ESTRUTURAS é neutra e a ECONOMIA é maioritariamente…

access_time2 minutos
princípios do novo designurbano

INFRA-ESTRUTURAS Os edifícios são construídos com eficiência e incluem tecnologia que pode melhorar a qualidade dos recursos. As infra--estruturas são concebidas a pensar nos peões, com um número limitado de estradas para trânsito automóvel. RECURSOS HÍDRICOS A protecção dos sistemas hídricos a montante e a recolha e limpeza das águas pluviais melhoram a qualidade da água. A recuperação das zonas húmidas e as medidas de “cidade-esponja” revitalizam habitats e protegem contra cheias. ENERGIA Na cidade do futuro, a energia é totalmente renovável. A produção de energia dentro ou nos arredores da cidade garante a auto--suficiência. Os edifícios da mesma zona partilham recursos energéticos, gerando tanta energia quanta a que consomem. RESÍDUOS Os resíduos serão recursos, destinados à produção de energia ou de materiais alternativos. Os aterros são gradualmente reconvertidos para outras finalidades, após limpeza e reabilitação do…

access_time30 minutos
repensando as cidades

O OBJECTIVO DAS CIDADES é reunir as pessoas. No século XX, afastámo-las. Certo dia, no ano passado, Peter Calthorpe levou-me a passear por alguns dos destroços dessa política. Queria mostrar-me os seus planos para transformar de novo as cidades num todo coeso. ¶ Em finais da década de 1970, este arquitecto participou no projecto de um dos primeiros edifícios de escritórios com eficiência energética que ainda hoje se encontra de pé, em Sacramento, na Califórnia (EUA). Pouco depois, porém, já ampliara os seus interesses. “Se quisermos mesmo obter melhores resultados ambientais e sociais, não basta dar forma a um único edifício”, diz. “Temos de dar forma a uma comunidade.” ¶ Actualmente, Peter chefia uma pequena mas influente empresa de design urbano, a Calthorpe Associates. No seu escritório de Berkeley, a…

access_time2 minutos
a forma das cidades

LOS ANGELES são “19 subúrbios em busca de uma metrópole”, na célebre formulação atribuída a Aldous Huxley, um escritor do século XX. Com o objectivo de perceber como se desenvolveram áreas metropolitanas como a região de Los Angeles, a equipa de Shlomo Angel, da Universidade de Nova Iorque, recorreu a mapas históricos e a imagens recolhidas por satélite para criar o Atlas da Expansão Urbana, sob a forma de um projecto cartográfico na Internet. O atlas define parâmetros urbanos, da mesma maneira que os romanos fizeram com o seu extrema tectorum, abrangendo a totalidade da área construída além dos limites jurisdicionais de uma cidade, mesmo quando ela se prolonga pelos municípios em redor. Linhas férreas, estradas e propriedades desempenham um papel na forma física das cidades, explica o investigador. A…

access_time1 minutos
inovações que moldaram as cidades

RESISTÊNCIA AOS ATAQUES Durante séculos, as muralhas protegeram as cidades de invasores. Para combater o alcance dos canhões, as cidades ergueram muralhas capazes de suportarem o fogo de artilharia. Quando os estados-nação eliminaram a necessidade das muralhas, as cidades começaram a expandir-se. APOIO AO COMÉRCIO As cidades portuárias floresceram como centros globais da indústria. Para a carga ser transportada até ao interior, a rede ferroviária alargou-se em todas as direcções. Este crescimento deu origem a padrões de desenvolvimento tentaculares. DESLOCAÇÃO DE PESSOAS Na década de 1850, com o aparecimento dos elevadores, as cidades tornaram-se mais densas, crescendo em altura. Expandiram-se para os subúrbios e os automóveis e autocarros preencheram as lacunas de transporte.…

help