AERO Magazine

Edicao 332

AERO Magazine é a revista mais lida por proprietários de aeronaves e pilotos do Brasil, e traz todos os meses os lançamentos e novidades do mercado, orientações para a compra e manutenção de aeronaves, avaliação de aeroportos e da infra-estrutura aeroportuária, artigos técnicos, reportagens históricas e coberturas especiais das principais feiras do mundo. Leia e comprove porque AERO Magazine é a líder em aviação no Brasil.

Country:
Brazil
Language:
Portuguese
Publisher:
Inner Publishing Net LLC
Frequency:
Monthly
SPECIAL: Save 50% on your subscription!
$4.03
$26.96$13.48
12 Issues

in this issue

2 min
mercado vendedor

A pandemia interferiu diretamente nas transações comerciais de aeronaves de negócios em todo o mundo. As medidas de isolamento tornaram aviões e helicópteros privativos bens desejáveis para muitos que, antes, rotineiramente, optavam por viajar por companhias aéreas. Resguardadas em locais distantes e com pouca oferta de voos regulares, muitas famílias sentiram a necessidade de contar com um veículo que fosse a extensão de suas casas – e de seus escritórios. Assim, houve uma corrida pela compra de aeronaves, o que afetou os preços e tornou o mercado “vendedor”. O Guia de Compras 2022 de AERO Magazine identificou essa tendência e registra a variação nos valores de jatos, turbo-hélices e helicópteros disponíveis no mercado brasileiro. Além de uma tabela completa com cada modelo e seus respectivos preços, incluímos dois artigos mostrando as…

18 min
na rede

CAÇAS RAFALE EM ALTA Os Emirados Árabes Unidos assinaram um contrato para compra de 80 caças franceses Dassault Rafale. O contrato também inclui a venda de 12 helicópteros Airbus H225M Caracal para o país árabe. A versão a ser fornecida para os árabes deverá ser a F4, a última e mais atualizada versão do caça francês da geração 4+. A Força Aérea dos Emirados Árabes já opera os caças franceses Mirage 2000, que deverão ser substituídos pelos novos Rafale. A Croácia também oficializou a compra de 12 caças Dassault Rafale para sua força aérea. O contrato cobre suporte logístico e peças sobressalentes adicionais para os caças, por um período de três anos. Os modelos serão dez Rafale C e dois Rafale B, de segunda mão, que pertencem à versão F3R, a…

f0006-01
6 min
as origens dos jatos de negócios

Ferramenta imprescindível de trabalho no mundo contemporâneo para uma categoria de passageiros usualmente classificada como muito importante, os jatos de negócios mesclam ganhos de tempo e produtividade com luxo, status e conforto. O curioso é que a maioria das famílias de jatos de negócios surgiu com outras funções, tendo como base programas bastante diferentes da ideia de ser um avião privativo. DASSAULT FALCON Após o final da Segunda Guerra, a França reestruturou sua indústria aeronáutica, cedendo uma série de contratos para fabricantes recém-estabelecidos. No início dos anos 1960, um projeto previa o desenvolvimento de um jato de negócios que pudesse atender a interesses governamental, executivo e militar. A Dassault Aviation aceitou o desafio e, com base nos estudos aerodinâmicos do caça-bombardeiro Mystère IV, passou a trabalhar no programa de um jato para…

f0012-01
3 min
o que é um detector de trovoadas?

Quando se junta um grande número de elétrons na atmosfera, há a ocorrência de um fenômeno da Física chamado diferença de potencial (d.d.p.). Uma legião de elétrons se afasta dos demais prótons e nêutrons, que compõe a estrutura dos átomos das moléculas de ar. Logo, esses elétrons em excesso escapam da região de forma explosiva, distribuindo-se nas demais áreas. A corrida dessas cargas negativas pode ser observada sob duas métricas. A “corrente elétrica” medida em Ampères (A), que define a quantidade de elétrons que viajam. E a “tensão elétrica”, medida em Volts, definindo a velocidade com que viajam. Pois bem, quando os elétrons estão “parados” em uma região ainda equilibrada, não há corrente nem tensão. À medida que começam a se deslocar, começa a se elevar a corrente até um valor…

f0016-01
6 min
prontos para voar

Oprograma F-X2, que se materializou no Gripen E/F, deverá ter em 2022 seu ano mais importante, com a chegada ao Brasil e a entrada em operação dos quatro primeiros aviões de série, dois no primeiro semestre e dois no segundo.Com a campanha de validação das capacidades operacionais dos primeiros caças, a Força Aérea Brasileira espera progredir gradualmente nos próximos meses até a plena integração do F-39 Gripen à corporação. A Saab apresentou os progressos relativos ao desenvolvimento do F-39 Gripen, demonstrando os trabalhos para integrantes da Comissão Coordenadora do Programa de Aeronave de Combate (Copac), em Brasília (DF). O evento contou com outras empresas envolvidas no desenvolvimento do Gripen E/F, incluindo a Embraer, a Atech, a Ael Sistemas, a SAM e a Saab Sensores e Serviços do Brasil (SSSB), que comentaram…

f0020-01
5 min
o jogo da aviação privada mudou

Em 1849, o escritor francês Jean-Baptiste Alphonse Karr escreveu a famosa frase: “Quanto mais as coisas mudam, mais permanecem as mesmas”. Mas isso dificilmente pode ser verdade no que diz respeito à aviação em 2021. Nesse caso, quanto mais as coisas mudam, mais elas continuarão a mudar – e veremos isso em 2022. A aviação é, por definição, dinâmica. Ele está sempre se movendo, mudando, adaptando-se e seguindo os apetites de quem tem os meios para usá-lo. Quando a pandemia começou, no início de 2020, o temor era o de que a aviação fosse dramaticamente afetada – e foi. Milhares de aeronaves estavam estacionadas tanto no lado da aviação comercial como no lado da aviação privada. O que era completamente imprevisível era a rápida taxa de recuperação da aviação privada, ao…

f0029-01